‘Temer prepara uma saída para si’, diz Deltan sobre indulto

‘Temer prepara uma saída para si’, diz Deltan sobre indulto

Coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato critica decreto de indulto natalino e comutação de penas assinado pelo presidente

Luiz Vassallo e Fausto Macedo

22 de dezembro de 2017 | 18h00

FOTO: THEO MARQUES/ESTADÃO

O coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, afirmou que o decreto de indulto natalino e comutação de penas assinado pelo presidente Michel Temer e pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim, é ‘um feirão de natal para corruptos’.

Segundo Deltan, ‘agora, corruptos no Brasil cumprirão apenas 1/5 da pena e serão completamente indultados (perdoados), como regra geral’.

O procurador afirma que, ao editar o decreto, o presidente ‘prepara uma saída para si (se condenado) e para outros réus da #LavaJato‘. 

“O decreto de indulto ignorou a manifestação da do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, do Ministério Público, da força-tarefa da Lava Jato e da Transparência Internacional. Todos se manifestaram contra aplicação do indulto ao crime de corrupção”, afirmou.

Deltan explica que ‘não só a manifestação foi ignorada, mas a decisão do presidente foi no sentido contrário: antes corruptos precisavam cumprir apenas 1/4 da pena’. 

“Ah, e é claro: pelo decreto de indulto, quem tem mais de 70 anos cumpre menos pena ainda!!”, anota. 

O coordenador da Lava Jato ainda parabeniza ironicamente o peemedebista.

“Meus parabéns pela ótima mensagem que o Planalto passa à população sobre sua atitude diante da corrupção. Não poderia ser mais claro”, constata. “Agora, irrisórios 1/5. É um feirão de Natal para corruptos: pratique corrupção e arque com só 20% das consequências – isso quando pagar pelo crime, porque a regra é a impunidade”. 

O procurador ainda afirma que ‘tem gente em outros Poderes que neste final de ano está passando a mesma mensagem’. 

COM A PALAVRA, O PLANALTO

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa. O espaço está aberto para manifestação.