Tecnologias emergentes e transformação digital na auditoria

Tecnologias emergentes e transformação digital na auditoria

Carlos Pires*

25 de agosto de 2021 | 05h30

Carlos Pires. FOTO: DIVULGAÇÃO

A profissão de auditor exige atualização constante de conhecimentos, considerando a dinâmica da atividade e seu papel estratégico perante acionistas, investidores e partes interessadas. Por isso, a capacitação sempre foi e será cada vez mais fundamental na formação de auditores. Embora a profissão ofereça oportunidades cada vez mais amplas, o perfil e a profissão do auditor também estão mudando. 

A transformação digital está impactando estratégias de negócios e necessidades dos clientes, o que também afeta a auditoria. E a pandemia impulsionou tendências que impactaram diversos setores, com o uso crescente da tecnologia. É o caso de análise de dados e Inteligência Artificial, recursos necessários para uma sociedade em evolução. Na pandemia, tarefas simples tornaram-se desafiadoras, como assinar documentos, contar itens em estoque e compartilhar arquivos digitais. A auditoria precisa estar em um novo patamar, desde que mantenha ou aumente os níveis de eficiência. 

Para isso, a aceleração tecnológica e a auditoria digital são determinantes, sendo importante destacar soluções práticas. Uma delas é a assinatura digital de documentos com validade jurídica sem a necessidade da presença física dos responsáveis. Outras são a circularização que substitui cartas em papel e o monitoramento em tempo real das etapas de confirmação da auditoria. Já há casos de dezenas de milhares de assinaturas feitas com esses recursos e outras tantas confirmações enviadas por sistemas próprios. Há também no mercado mecanismos para contar estoques remotamente, com um aplicativo que acelera esse trabalho.

Entre tantos benefícios, essas soluções são sustentáveis, reduzem custos, otimizam tempo e garantem segurança. Há outras soluções emergentes, como realizar contagens físicas com drones, por exemplo. Nas instituições financeiras, tecnologias de automação também estão sendo implementadas, com análise de dados, robotização e Inteligência Artificial para processar grandes volumes de dados.

As auditorias de empresas digitais, ativos criptográficos e blockchain são os mais recentes desafios no mundo da auditoria. Se por um lado essas empresas despertam o interesse das auditorias na corrida pela auditoria 100% digital, por outro lado existem barreiras e grandes preocupações quanto à falta de regulação no mercado e, também, aos limites tecnológicos que são impostos na hora de validar a integridade, precisão e valorização desses ativos digitais e intangíveis.

As tecnologias que incorporam índices de mercado na execução de testes também tornam os resultados do auditor mais ágeis e precisos. Já o uso de nuvem e plataformas melhora a colaboração entre auditorias e clientes, promove a comunicação simples e direta, possibilita o acompanhamento da auditoria de maneira transparente, ágil e digital, e habilita o acesso de dados em um único canal seguro.

A prioridade da auditoria tem sido acelerar processos operacionais para substituir tarefas manuais por alternativas automatizadas e digitais, que também promovam qualidade, consistência e eficiência. O mercado já tem à disposição soluções tecnológicas que estão inovando a auditoria, e há outras em desenvolvimento. Assim, a tarefa do auditor está em plena transformação, convergindo constantemente com as novas demandas das empresas e as necessidades de quem a exerce. A tecnologia tem sido uma grande aliada nesse processo e, cada vez mais, investir na transformação digital da auditoria será determinante para o sucesso dos negócios como também para o desenvolvimento profissional dos auditores envolvidos.

*Carlos Pires é líder de Auditoria da KPMG no Brasil e na América do Sul, membro do Comitê Executivo da KPMG no Brasil e do Comitê Global de Auditoria da KPMG

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.