TCU comunica a Moro bloqueio de bens de Gabrielli, Odebrecht e OAS

Leia a íntegra da decisão de 97 páginas do Tribunal de Contas da União que também alcança o ex-diretor de Serviços da Petrobrás Renato Duque

Julia Affonso e Fausto Macedo

30 Agosto 2016 | 04h00

tcu

O Tribunal de Contas da União (TCU) comunicou ao juiz federal Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava Jato na 1.ª instância, o bloqueio de bens do ex-presidente da Petrobrás José Sérgio Gabrielli, do ex-diretor de Serviços da estatal Renato Duque, de empresas de executivos do Grupo Odebrecht e da empreiteira OAS. A Corte ordenou a disponibilidade de R$ 2,1 bilhões.

Documento

A decisão do TCU, de 97 páginas, foi anexada aos autos da Lava Jato na sexta-feira, 26. A medida visa a assegurar eventual ressarcimento, no futuro, de prejuízos em duas obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, causados pelo esquema de cartel, corrupção e superfaturamento investigado na Operação Lava Jato.

A Odebrecht informou que a empresa e os executivos não vão comentar. OAS e José Sergio Gabrielli foram procurados. O advogado de Renato Duque não foi localizado. O espaço está aberto.

Mais conteúdo sobre:

TCUOdebrechtOAS