Decano do TCE cobra do governo Doria informações sobre ‘prejuízos e responsabilidade’ por cratera nas obras da linha 6-Laranja do Metrô

Decano do TCE cobra do governo Doria informações sobre ‘prejuízos e responsabilidade’ por cratera nas obras da linha 6-Laranja do Metrô

Antonio Roque Citadini, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, despachou ofício na tarde desta terça-feira, 1, para a Secretaria dos Transportes Metropolitanos dando prazo de 30 dias para receber dados relativos a danos materiais e financeiros e qual a previsão de atraso no empreendimento

Rayssa Motta e Fausto Macedo

01 de fevereiro de 2022 | 18h54

Cratera foi aberta na Marginal Tietê após desabamento de obra na Linha 6-Laranja do Metrô. Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Decano do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), o conselheiro Antonio Roque Citadini notificou a Secretaria dos Transportes Metropolitanos nesta terça-feira, 1º, para que apresente, em até 30 dias, informações sobre o desabamento na obra da Linha 6-Laranja do Metrô, que mais cedo fez ceder parte do asfalto da Marginal do Tietê nas imediações da Ponte do Piqueri, na zona oeste da capital paulista.

Documento

O documento determina que a pasta indique as eventuais causas do acidente e a quem pode ser atribuída a responsabilidade pelo desmoronamento. Também pede uma lista dos prejuízos materiais e financeiros e uma estimativa do atraso provocado pelo desabamento.

De acordo com o governo de São Paulo, o acidente foi causado pelo rompimento de uma coletora de esgoto que passa no sentido transversal ao túnel da obra do metrô. A Secretaria dos Transportes Metropolitanos informou que o vazamento teve início às 8h21 e o solo não suportou o peso da galeria de esgoto.

O governador João Doria (PSDB) esteve, na manhã desta terça, na cerimônia de posse da nova gestão do TCE-SP. O tucano precisou se ausentar antes do término da sessão solene, justamente para visitar o local do acidente.

“Que Deus nos proteja, sobretudo diante da intensidade dessas chuvas. Teremos intensas chuvas até o final do mês de março. Portanto, não apenas eu como governador, Rodrigo Garcia, como vice, as autoridades públicas do Estado de São Paulo, prefeitas e prefeitos, teremos que ter uma enorme atenção para esse período”, afirmou o governador em discurso por vídeo.

Além do TCE, o Ministério Público do Estado também abriu investigação sobre o acidente. O inquérito civil ficará a cargo da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo da Capital. Em nota, o órgão informou que vai se debruçar sobre as causas e a extensão dos danos urbanísticos e ambientais decorrentes do episódio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.