‘Suspenso enquanto durar o mandato’

‘Suspenso enquanto durar o mandato’

Leia a íntegra do despacho do ministro Edson Fachin, que separou as investigações sobre Michel Temer e seu ex-assessor, Rocha Loures, e também decidiu que o presidente só poderá a voltar a ser investigado pela mala dos R$ 500 mil da JBS após deixar o cargo

Breno Pires e Luiz Vassallo

10 Agosto 2017 | 17h49

 

Michel Temer e Ricardo Rocha Loures. Foto: JBatista / Agencia Camara

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, decidiu desmembrar a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer e o ex-assessor especial do presidente, Rodrigo Rocha Loures, por corrupção passiva no caso JBS – Loures foi flagrado com uma mala preta com R$ 500 mil em propinas da JBS. Fachin decidiu enviar a denúncia contra Loures para Justiça Federal do DF. Ele também oficializou que o inquérito, quanto a Temer, ficará suspenso até fim do mandato do presidente, após a Câmara barrar o avanço da denúncia.

Documento

“Diante da negativa de autorização por parte da Câmara para o prosseguimento do feito em relação ao Presidente da República, o presente feito deverá permanecer suspenso enquanto durar o mandato presidencial”, decretou o ministro.