Supremo homologa delação de Zwi

Supremo homologa delação de Zwi

Lobista Zwi Skornicki confessou ter pago US$ 4,5 milhões ao casal de marqueteiros das campanhas presidenciais de Lula e Dilma

Julia Affonso, Ricardo Brandt, Fausto Macedo e Mateus Coutinho

14 de outubro de 2016 | 11h40

Zwi Skornicki. Foto: Divulgação

Zwi Skornicki. Foto: Divulgação

O ministro Teori Zawascki, do Supremo Tribunal Federal, homologou a delação premiada do lobista e distribuidor de propinas Zwi Skornicki, alvo da Operação Lava Jato.

Documento

Zwi Skornicki confessou ter pago US$ 4,5 milhões ao casal de marqueteiros das campanhas presidenciais de Lula e Dilma, João Santana e Mônica Moura, entre 2013 e 2014. O lobista revelou a existência de uma ‘conta-corrente’ por meio da qual repassava valores ilícitos a ex-dirigentes da Petrobrás e a credores do PT por indicação do então tesoureiro do partido, João Vaccari Neto.

A decisão de Teori é de 6 de outubro. O documento aponta que a delação de Zwi tem 24 depoimentos e relata ‘diversas ações realizadas com o intuito de lavar dinheiro de propina paga em razões de negócios firmados com a Petrobrás’.

Mais conteúdo sobre:

operação Lava JatoZwi Skornicki