Súplica e denúncia contra o desvario negacionista e insensível de um governo desgovernado

Súplica e denúncia contra o desvario negacionista e insensível de um governo desgovernado

Nora Ruiz*

08 de março de 2021 | 13h10

Nora Ruiz. FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Como sobrevivente da Ditadura de 1964-1985, fui presa e encarcerada na Polícia Militar de Belo Horizonte em 1965, falsamente acusada de pertencer ao Partido Comunista. Eu exercia funções de educadora sanitária, junto ao Ministério da Saúde, em doze favelas na cidade, quando trabalhava na prevenção de doenças transmissíveis e de verminoses.

Por ironia, os militares que invadiram meu escritório e destruíram anos de pesquisas em Saúde Pública, desenvolvidas por uma equipe multidisciplinar de cientistas e profissionais da saúde, confundiram a sigla CPC (Centro Popular de Cultura), sede do nosso escritório, como sede do Partido Comunista!

No seu autoritarismo ignorante e arrogante, confundiram CPC com a sigla do PC e me acusaram, sem provas, de que eu pertencia ao Partido Comunista, apesar de nunca ter sido nem membro ou participante dele. Assim, fui julgada por um Tribunal Militar!

Escrevi o livro Amor e tragédia em tempos de ódio, publicado no primeiro semestre de 2020, prevendo o caos que hoje o Brasil sofre, resultante do desvario negacionista e insensível de um governo desgovernado.

É um trabalho corajoso e transparente, fruto de estudo metódico de dados concretos do presente, sem deixar de olhar para o passado, para compreender o presente, comparando atitudes similares de falas e atos do atual governo, com as ditaduras de hoje e do passado. Particularmente, o livro analise comparativamente o desgoverno de hoje com as tragédias político-sociais das décadas de 1960 e 1970 e alertando para o perigo que a nossa Democracia corre de se derreter, avistando um futuro sombrio e doloroso para reconquistarmos as perdas da desconstrução que o atual governo insiste em produzir, desrespeitando o progresso civilizatório, conquistado até aqui, com tanto sacrifício, após 1988 e antes da Ditadura.

A poesia e a crônica de protesto sempre foram as características mais forte da literatura do seu tempo! Sim, o livro é uma súplica e denúncia entre poemas de amor costurados entre tragédias anunciadas pelos quatro cavaleiros do Apocalipse: Da Guerra, da Peste, da Fome e da Morte!

*Nora Ruiz é cientista política com passagem como professora e pesquisadora pelas principais universidades e instituições de ensino e pesquisa do País e da ONU. Autora de Amor e Tragédia em Tempos de Ódio

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.