Suíça quer ouvir empresário que fez depósitos em conta de Marinho

Lilian Venturini

12 de março de 2014 | 10h56

Por Fausto Macedo

A Suíça investiga o pagador do conselheiro Robson Marinho, do Tribunal de Contas do Estado, ex-chefe da Casa Civil do governo Mário Covas (PSDB). O Ministério Público da Confederação (Procuradoria de Genebra) pede ao Brasil interrogatório do empresário Sabino Indelicato, que fez 8 depósitos na conta secreta de Marinho, no Credit Lyonnais Suisse, somando US$ 953,69 mil, entre 1998 e 2005.

Os procuradores suíços querem saber por que Indelicato injetou dinheiro na conta de Marinho. Foi aberto processo de investigação de polícia judiciária “por suspeitas de lavagem de dinheiro agravada, assim como por corrupção de agentes públicos estrangeiros”. Procuradores enviaram 38 perguntas a serem feitas para Indelicato. Algumas delas tratam especificamente das relações do empresário com o conselheiro. “O sr. teve em alguma ocasião relações profissionais com o Robson Riedel Marinho? Se for o caso, de que tipo exato foram essas relações e durante que período o sr. as manteve?”

A investigação da Suíça mira as transferências para Marinho no âmbito do contrato da Alstom com a área de energia do Estado de São Paulo. O conselheiro votou pela regularidade da inexigibilidade de licitação para extensão de garantia de equipamentos do contrato Gisel, da antiga Eletropaulo. Além de Indelicato, 10 ex-diretores das empresas, lobistas e ex-dirigentes de extintas estatais de energia são réus em ação penal na Justiça Federal. Por ter foro privilegiado, Marinho é investigado no Superior Tribunal de Justiça.

A Suíça anexou ao pedido de interrogatório de Indelicato dados da empresa Acqua Lux Engenharia, por meio da qual ele recebeu R$ 2,1 milhões da Alstom e coligadas por “serviços fictícios”, segundo o Ministério Público. Parte desse valor, R$ 1,84 milhão, foi transferida para a conta pessoal do próprio Indelicato, também no Credit Lyonnais Suisse.

Ainda sobre os repasses para a conta 1732-1, de Marinho, a Suíça quer saber de Indelicato: “Quem está autorizado para esta conta e qual é o motivo econômico desses pagamentos?” A Suíça cita a offshore Higgins Finance Ltd, controlada por Marinho. “Apresentamos-lhe documentos de abertura da conta 1732-1, nesses documentos aparece que se trata da companhia Higgins Finance, da qual Robson Marinho é beneficiário econômico. Que pode declarar o sr. em relação a isso? Qual era o motivo econômico desses pagamentos?”

Advogada de Indelicato, Dora Cavalcanti diz que não tem conhecimento oficial da documentação da Suíça. Ela afirmou que Indelicato e Marinho são amigos há mais de 30 anos e sócios em empreendimentos imobiliários na região de São José dos Campos (SP).

Mais conteúdo sobre:

AlstomRobson Marinho