Sucesso por acaso?

Sucesso por acaso?

Rogério Vargas*

07 de julho de 2020 | 12h31

Rogério Vargas. Foto: Divulgação

Uma empresa é fruto de uma dinâmica aspiracional, algo que entregue valor. Muito se fala em resultados, lucro, EBITDA… isto é consequência de algo com alma. Por vezes, somos procurados para reestruturar algo. Isto é possível? Sim, sempre, desde que a alma não seja pequena, você já deve ter escutado esta frase. Todo negócio deve buscar, incessantemente, um valor. Não é quantidade. Quantas vezes você não foi a um restaurante que entrega pratos, os mesmos, poucos, de forma única? Quantas vezes você não entrou em um site ou até mesmo em loja física, apenas querendo que alguém entenda o que deseja e ofereça o simples, o útil. Voltando ao prato, por vezes, procuramos algo básico, o “pretinho” básico que todas as mulheres usam, e não somos compreendidos.

O negócio é uma constante busca pela entrega de valor, não existe perfeição, porém quando nos deparamos com ele, rapidamente plugamos, plug & play, que tanto se fala. Esta é uma atitude que se constrói diariamente, nunca termina, é a busca do aprimoramento contínuo. Na maioria das vezes, próximo aos 15 anos, começamos a pensar na escolha de uma profissão. Muito se escuta, o que dá muito dinheiro? No entanto, como sabemos, isto é consequência da paixão por algo. Aquilo que visceralmente se entrega, sem pensar, apenas natural. Assim são as empresas, lugares de valor, paixão, entrega. Os resultados, claro, vêm de forma natural, embora com muita transpiração. A aspiração ocorre pela intensidade, transpiração, pelo movimento, não apenas pelo pensamento, pela ideia. Por isso também falamos tanto da execução estratégica, é aquilo que fazemos com a alma e de grande valor.

No dia-a-dia que vivemos com as empresas, vemos diversos casos de sucesso, casos de alma. O Brasil é maravilhoso, todos nós construímos o que vivemos todos os dias. Não, as empresas não são perfeitas, mas as almas fazem a diferença e, sem nenhum esforço, o cliente reconhece, percebe, rapidamente. Por isso que a pergunta que sempre é feita, meu negócio tem como melhorar os resultados? Claro, pois os negócios que aí estão e prosperarão, são negócios de alma, valor, grande entrega. Prefiro não me referir a nenhum case, até porque, no Brasil, temos inúmeros. Somos destaques em vários mercados agro (um dos maiores no mundo / líderes em várias frentes), moda (5º no mundo), saúde (8º-9º no mundo, alguns mercados top5), tecnologia (basta vermos os investimentos contínuos), enfim, se somos grandes é porque temos grandes empresas, empresas de valor. E claro, sempre pode-se fazer melhor.

*Rogério Vargas é sócio-diretor da Auddas, engenheiro Civil pela PUC-RS e especialista em e-Business pela FGV

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: