STJ mantém na prisão amigo de Lula

STJ mantém na prisão amigo de Lula

José Carlos Bumlai, preso no dia 30 de novembro, é alvo da Lava Jato por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobrás

Julia Affonso, Gustavo Aguiar, Beatriz Bulla e Ricardo Brandt

02 de dezembro de 2015 | 14h17

Pecuarista José Carlos Bumlai, preso na Lava Jato, embarca para Curitiba

Pecuarista José Carlos Bumlai, preso na Lava Jato, embarca para Curitiba

O ministro Ribeiro Dantas, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou o pedido liminar de habeas corpus impetrado pela defesa do empresário José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula. O pecuarista foi preso no último dia 30, em um hotel, em Brasília, sob suspeita de participar do esquema de desvio de recursos da Petrobrás, investigado pela Operação Lavo Jato.

[veja_tambem]

Segundo os investigadores, Bumlai fez um empréstimo bancário de R$ 12 milhões junto ao Banco Scharin, em 2004, e parte do valor teria sido destinado ao PT. Em troca da operação, a Schahin teria sido contemplada com um contrato de US$ 1,3 bilhão para a contratação, sem licitação, do navio-sonda Vitoria 10000, da Petrobrás.

Segundo o empresário Salim Schain, antigo controlador do banco, Bumlai não pagou o empréstimo. Além de Schain, outros dois delatores, o lobista Fernando Falcão Soares, o Fernando Baiano, e o ex-gerente da Petrobrás Eduardo Musa confirmaram a versão aos procuradores que investigam os casos de desvios na Petrobras.

Tudo o que sabemos sobre:

José Carlos Bumlaioperação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.