STJ julga habeas de Eike

STJ julga habeas de Eike

Além do empresário, preso em regime domiciliar, a Corte vai decidir sobre outros 4 pedidos de liberdade nas Operações Calicute e Eficiência

Breno Pires e Rafael Moraes Moura

08 Agosto 2017 | 14h56

Eike Batista, na Polícia Federal no Rio. FOTO: MARCOS ARCOVERDE/ESTADÃO

BRASÍLIA – A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgará nesta tarde cinco habeas corpus ou recursos em habeas corpus apresentados por investigados nas operações Calicute e Eficiência, incluindo o empresário Eike Batista. Após ser libertado em abril, Eike terá o julgamento de mérito do pedido de liberdade que foi apresentado pela defesa.

Entre os outros quatro habeas corpus que serão analisados, está o ex-secretário adjunto da área de publicidade do governo de Sérgio Cabral, o publicitário Francisco de Assis Neto, que pede a revogação da prisão preventiva ou a substituição por medidas cautelares.

Sergio de Castro Oliveira, ex-assessor de Sergio Cabral, também pede para ser colocado em liberdade. Ele é acusado de ser um operador financeiro da organização, suprindo financeiramente familiares do ex-governador.

A defesa de Thiago Aragão, advogado e ex-sócio de Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral, pede para ele seja colocado em liberdade ou em prisão domiciliar, tal qual a esposa do ex-governador do Rio de Janeiro, pois é pai de um bebê. Ele é acusado de ter recebido cerca de R$ 1 milhão em dinheiro, fruto da atividade aparentemente criminosa.

Luiz Paulo Reis, preso no âmbito da Operação Calicute, também pede liberdade. Ele é sócio de Hudson Braga em empresas supostamente utilizadas para lavar dinheiro da organização liderada por Sérgio Cabral.