Servidores fazem ‘faxinaço’ e pedem saída de ministro da Transparência que criticou Lava Jato

Servidores fazem ‘faxinaço’ e pedem saída de ministro da Transparência que criticou Lava Jato

Fabiano Silveira, nomeado pelo presidente interino Michel Temer, reuniu-se com Renan Calheiros (PMDB/AL) e Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro

Mateus Coutinho e Fausto Macedo

30 de maio de 2016 | 15h52

FAXINACOCGU

Protesto no Ministério da Transparência. Foto: Divulgação

Servidores do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle, que absorveu as funções da Controladoria-Geral da União (CGU), protestaram na sede do edifício nesta segunda-feira, 30, pedindo a exoneração imediata do titular da pasta Fabiano Silveira.

Reportagem do Fantástico, da TV Globo, neste domingo, 29, revelou novas conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, com políticos na qual Fabiano Silveira aparece em um diálogo junto com Machado e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). No trecho da conversas há críticas do atual ministro à Lava Jato. Na época era conselheiro do Conselho Nacional de Justiça, à Lava Jato.

[veja_tambem]

O áudio pegou Fabiano Silveira dizendo que ‘os caras’ da Procuradoria-Geral da República estão ‘perdidos’.

O caso causou grande repercussão entre os servidores do órgão, destinado ao combate à corrupção no governo federal, que fizeram um “faxinaço” na sede da pasta, incluindo o gabinete do ministro,com vassouras, água e sabão. Mesmo com a grande repercussão do episódio, o presidente em exercício Michel Temer (PMDB) afirmou nesta tarde que manterá Fabiano Silveira “por enquanto”.

A CGU foi extinta com a chegada de Michel Temer à Presidência após o afastamento de Dilma Rousseff, e incorporada ao Ministério de Transparência, o que já causou protestos por parte dos servidores do extinto órgão, que reivindicam a autonomia da CGU.