Senadora vê ‘meninas seminuas’ e ‘axilas com pelos’ e cogita universidades cívico-militares

Senadora vê ‘meninas seminuas’ e ‘axilas com pelos’ e cogita universidades cívico-militares

Soraya Thronicke (PSL/MS) interpelou ministro da Educação Abraham Weintraub durante a audiência pública da Comissão de Educação do Senado

Pedro Prata

11 de fevereiro de 2020 | 19h06

A senadora Soraya Thronicke (PSL/MS) disse nesta terça, 11, que viu fotos de ‘meninas seminuas e com axilas com pelos’ em banheiro de universidade e interpelou o ministro da Educação Abraham Weintraub sobre a possibilidade de coibir ‘atos culturais’ e ‘protestos’ dentro das instituições de ensino superior.

“Gostaria de saber como é possível coibir ‘atos culturais’ ou de protestos em universidades federais ou outras, quando qualquer atitude tomada pela administração da universidade é taxada de atentado à liberdade de expressão”, questionou Soraya.

A senadora participou da audiência pública com o ministro na Comissão de Educação.

Ela lembrou do projeto educacional do governo federal para implementação de escolas cívico-militares, e questionou a viabilidade de levar o modelo para o ensino superior.

A senadora relatou. “Eu recebi fotos de dentro de banheiros de universidade federal de meninas seminuas, uma coisa assim tétrica.”

“As axilas com pêlos das mulheres, elas estavam exaltando aquilo como um protesto, como se ninguém deixasse elas não se depilarem. Não sei o que acontece.”

Soraya Thronicke: ‘É triste, nem debaixo da ponte a gente vê lugar daquele jeito’. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Segundo ela, ‘isso não é coisa para se tratar em universidade federal’. “Só que se o reitor se insurge contra aquilo, é um problema grave.”

Além disso, Soraya também comentou a depredação física das instituições, como pichações.

“É triste, nem debaixo da ponte a gente vê lugar daquele jeito.”

Foto: Pixabay/@StockSnap/Divulgação

COM A PALAVRA, O MINISTRO

Ao tomar a palavra, Weintraub disse que ‘coibir é muito difícil hoje, depende da legislação’.

Sobre o modelo cívico-militar, respondeu. “O ITA (Instituto de Tecnologia e Aeronáutica, em São José dos Campos, interior de São Paulo) é uma escola cívico-militar. Tem a gestão militar da Aeronáutica e os professores civis com total liberdade de ensino e de pesquisa.”

Weintraub disse que não viu ‘estudantes fumando maconha’ e ‘pichações’ durante visita ao campus.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: