“Seguramos a CPI do Carf pra não ter problema”, diz líder do PT na Câmara a Lula

“Seguramos a CPI do Carf pra não ter problema”, diz líder do PT na Câmara a Lula

Grampo da Lava Jato pegou conversa entre o ex-presidente e o deputado José Guimarães (PT/CE)

Julia Affonso, Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, Fábio Fabrini e Fausto Macedo

16 de março de 2016 | 21h16

José Guimarães. Foto: Dida Sampaio/Estadão

José Guimarães. Foto: Dida Sampaio/Estadão

A série de grampos da Operação Lava Jato envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pegou uma conversa dele com o líder do PT na Câmara, José Guimarães (CE), em 10 de março. Durante o diálogo, o deputado cita a CPI do Carf – Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga suposto esquema de corrupção no tribunal da Receita.

A Operação Zelotes, que investiga suposto esquema de corrupção no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, indica que a empresa LFT Marketing Esportivo, de Luís Cláudio Lula da Silva, um dos filhos de Lula, recebeu pagamentos de R$ 2,5 milhões da Consultoria Marcondes e Mautoni Empreendimentos, do lobista Mauro Marcondes Machado. Ele e a mulher, Cristina Mautoni, estão presos, acusados de operar o pagamento de propina a servidores e autoridades federais para viabilizar Medidas Provisórias do interesse de montadoras de veículos.

Na conversa com José Guimarães, o ex-presidente pergunta como está o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ). “Oh, querido como é que tá a situação do Eduardo Cunha aí na Câmara?!”

O líder do PT responde: “Oh, Lula, o problema é o seguinte. Ele tá completamente ilhado ali dentro, tem uma base forte, segurando o processo dele que não tem como se resolver por menos de 90, 120 dias, porque ele tem instrumentos regimentais pra segurar tudo. Tem, tem, tem mantido…a única pessoa que ele ainda conversa pra estabelecer alguma pauta é comigo, mas isso tá muito atritado, né?! Ele tá numa situação ‘na dele’. Botando matérias complicadas, porque a oposição também…veja bem, a oposição tá em obstrução total, e ele não quer, evidentemente a Câmara em obstrução. E nessas matérias entrou todas e tudo mais que prejudica o país e o governo, né?! Então tá mais ou menos nessa toada. Nossa preocupação tem sido com alguns líderes pra montar aquele panorama de votos pra evitar qualquer tentativa de impeachment no futuro. Porque a Comissão deverá ser montada na semana que vem. Essa é a minha preocupação, tenho trabalho muito isso, né?! E seguramos também hoje a CPI do Carf, né, pra não ter problema!”

guim1

guim2

guim3

guim4

[veja_tambem]

Em 8 de março, a Câmara dos Deputados havia instalado a CPI do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) para investigar supostos pagamentos de propina para manipular os resultados dos julgamentos do colegiado. A comissão iniciou os trabalhos depois que o Senado concluiu, em dezembro, uma CPI com o mesmo tema, que terminou sem pedir o indiciamento de nenhum político.

Um anexo da delação do senador Delcídio Amaral (afastado PT-MS) trata de uma suposta ‘preocupação de Lula com a CPI do Carf’. “Mas, em verdade, Lula estava preocupado com as implicações à sua própria família, especialmente com os filhos Fabio Luiz Lula da Silva e Luiz Claudio Lula da Silva”, diz trecho da delação premiada.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: