‘Seguimos alinhados, firmes’, diz presidente do TJ São Paulo, com produção histórica na guerra contra a pandemia

‘Seguimos alinhados, firmes’, diz presidente do TJ São Paulo, com produção histórica na guerra contra a pandemia

Em mensagem a todos os magistrados e servidores do Judiciário paulista, desembargador Geraldo Pinheiro Franco enaltece marco histórico de quase oito milhões de decisões mesmo sob a quarentena que se prolonga por 90 dias

Redação

24 de junho de 2020 | 14h50

Geraldo Francisco Pinheiro Franco. Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Em mensagem enviada aos três mil magistrados e 40 mil servidores do Judiciário paulista na terça, 23, o Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), Geraldo Francisco Pinheiro Franco, destacou o desempenho da Corte nos três meses de trabalho remoto imposto pela epidemia de coronavírus no país. O quadro de funcionários está em home office desde 21 de março.

Apesar da dificuldade que o isolamento impõe ao cumprimento de ritos do dia-a-dia da Justiça, como a realização de audiências, por exemplo, o TJSP estima ter expedido quase 8 milhões de decisões, entre sentenças, acórdãos e despachos, nos últimos 90 dias de trabalho remoto. Além disso, foram implementados projetos para defesa da mulher e da criança contra a violência.

“Estamos cumprindo nossa obrigação, é verdade, mas com algo a mais: a vontade, a dedicação, o compromisso pessoal e o desejo de melhorar e ajudar”, escreveu Franco.

O desembargador agradeceu os esforços da equipe do Tribunal, que é o maior do Brasil. Para ele, o trabalho assegura ‘segurança social’ em um momento de crise sanitária como o atual.

“A pandemia que estamos atravessando nos trouxe um fortíssimo legado: a formação de um vínculo, um todo harmônico, formado por pessoas de bem, que se preocupam com os outros e se dedicam, assim, à paz social, razão maior do Poder Judiciário”, destacou. “Seguimos alinhados (e já se vão 90 dias), firmes, atentos às questões de saúde (sempre, e é preciso que assim seja) e fazendo a parte que nos cabe, seja no campo profissional, seja no campo pessoal”.

LEIA ABAIXO A ÍNTEGRA DA NOTA

Caríssimos Magistrados e Magistradas

Caríssimos Servidores e Servidoras

A pandemia que estamos atravessando nos trouxe um fortíssimo legado: a formação de um vínculo, um todo harmônico, formado por pessoas de bem, que se preocupam com os outros e se dedicam, assim, à paz social, razão maior do Poder Judiciário.

Estamos cumprindo nossa obrigação, é verdade, mas com algo a mais: a vontade, a dedicação, o compromisso pessoal e o desejo de melhorar e ajudar.

Se é verdade que já estamos chegando a 8 milhões de atos processuais praticados, marco notável no sistema de justiça, não menos verdade, e igualmente importante, que implementamos muitos outros projetos, como os da defesa da mulher e crianças contra a violência, voltados todos ao bem comum.

Seguimos alinhados (e já se vão 90 dias), firmes, atentos às questões de saúde (sempre, e é preciso que assim seja) e fazendo a parte que nos cabe, seja no campo profissional, seja no campo pessoal.

Quero reafirmar a todos o orgulho e respeito que pessoalmente tenho por cada um dos magistrados, servidores, colaboradores, policiais civis e militares do Tribunal de Justiça de São Paulo, que em momento de dificuldade séria e nunca imaginada, arregaçaram as mangas e mantiveram o Tribunal em posição de destaque, vencendo muitas dificuldades, tristezas, duvidas, ansiedades e barreiras. Mas antes de tudo, demonstraram solidariedade com o próximo. E isso se transforma em alegria plena. É assim que fazemos a diferença e contribuímos para uma sociedade melhor e mais segura.

Vamos continuar nesse toada. E estarei sempre ao lado de cada um. Um olhar especial e uma prece a quem cuida de todos nós, homens e mulheres do sistema de saúde, aos que sofrem e aos que nos deixaram saudade.

Geraldo Francisco Pinheiro Franco
Presidente do Tribunal de Justiça

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.