Sebastiana, 93, consegue pensão 35 anos após morte do marido

Sebastiana, 93, consegue pensão 35 anos após morte do marido

Idosa faz projetos com o benefício: 'Vai ajudar nas despesas da casa e na compra de remédios'

Redação

25 Abril 2015 | 03h00

sebastiana-foto-aline-caetano-tj-go

Dona Sebastiana teve 12 filhos. Foto: Aline Caetano-TJ-GO

Por Julia Affonso

Sebastiana Francisca de Souza, de 93 anos, moradora do povoado Dois Irmãos, em Pontalina, no interior de Goiás, conseguiu na Justiça o direito de receber pensão por morte previdenciária. O benefício chegou com trinta e cinco anos de atraso. O marido de Sebastiana morreu em 1980.

A idosa teve 12 filhos, mas apenas dois estão vivos. Ela vai receber um salário mínimo mensal, além do abono anual previsto, com efeitos retroativos à data da citação, ocorrida em 4 de fevereiro de 2014. Segundo Sebastiana, o benefício “vai ajudar nas despesas da casa e na compra de remédios”.

Dona Sebastiana. Foto: Aline Caetano/TJ-GO

A idosa faz planos para a chegada do benefício. Foto: Aline Caetano/TJ-GO

Ela conseguiu a pensão na 2ª edição do Programa Acelerar – Núcleo Previdenciário do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), em Pontalina. O processo de Sebastiana foi sentenciado pelo juiz Rodrigo de Melo Brustolin, de Rio Verde.

“Entendi que era caso de concessão porque ficou comprovado que o casal tinha uma união estável e que quando o marido faleceu era segurado do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS)”, disse o juiz.

Das 306 audiências marcadas para os três dias no Mutirão Previdenciário em Pontalina, 161 são ações previdenciárias relacionadas a aposentadoria por idade; 56 processos de pensão por morte; 55 benefícios assistenciais, invalidez e acidentária, além de 14 sobre salário maternidade e 1 de auxílio reclusão.

A população de Pontalina é estimada em 17.811 habitantes, em 2014, segundo o Instituto de Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Mais conteúdo sobre:

Previdência SocialTJ-GO