Saúde mental: motivação no ambiente de trabalho vem antes do salário

Saúde mental: motivação no ambiente de trabalho vem antes do salário

Alexandre Máximo*

17 de agosto de 2021 | 04h30

Alexandre Máximo. FOTO: DIVULGAÇÃO

A motivação está diretamente ligada com a satisfação pelo trabalho que é realizado e, consequentemente, à vontade de continuar naquele emprego e admiração pela companhia. Esse é o sentimento que move todas as ações dos colaboradores, seja para cumprir metas, atingir bons resultados ou seguir crescendo e se comprometendo com a empresa. Manter a motivação dos empregados é um dever e um componente muito importante da dinâmica organizacional – e que se mostrou ainda mais essencial após a pandemia.

Com o isolamento social e a adaptação ao home office, as organizações entenderam que precisam se transformar, inovar e atender as necessidades individuais dos colaboradores, pois só assim conseguirão retê-los e mantê-los satisfeitos. Assim, o assunto entrou na pauta de muitas companhias e acelerou a prática de benefícios voltados para o bem-estar, principalmente neste momento em que a maioria das pessoas deixam de estar fisicamente nos escritórios e se sentem também mais distantes da gestão e da rotina na empresa.

Dados de uma pesquisa realizada pela Mercer Marsh Benefícios comprovam esse cenário. 47% das empresas ouvidas implementaram ações de saúde mental entre 2020 e 2021 – um crescimento de 62% em relação à edição anterior do levantamento, feito em 2019. Entre as companhias que já possuem esse tipo de ação, 79% contam com programas de saúde e bem-estar.

Para quem está em busca de uma recolocação ou um novo desafio no mercado corporativo, essa “atenção” com o funcionário também tem se mostrado um fator essencial e um grande diferencial no momento do aceite da proposta de trabalho. Isto é, pacotes de benefícios tradicionais, como vale refeição, plano de saúde e vale transporte, já não atendem completamente os anseios atuais dos candidatos. As gerações mais novas já entendem melhor a necessidade de olhar para outros fatores, como a saúde mental, e colocam isso à frente até mesmo do salário.

Dessa forma, quando a empresa passa a implantar tais iniciativas, como o uso de plataformas para trazer diagnósticos mais precisos sobre a saúde dos colaboradores, acesso digital a medicamentos e jornada de tratamento, demonstra para o mercado uma preocupação com o bem-estar dos funcionários. Mais do que isso: sai na frente da concorrência pelo fato de conseguir analisar tendências, ter uma visão holística do perfil epidemiológico dos funcionários e criar ações preventivas extremamente assertivas, baseadas em dados. Isso traz indicadores de desempenho da saúde, que ajudam a perceber alterações e a criar rapidamente medidas para a resolução do problema, com mais precisão e eficácia.

A verdade é que reconhecer o funcionário pela atuação, vai além da remuneração. Nesse sentido, investir em um ambiente de trabalho agradável é fundamental e um dos fatores primordiais para trazer maior motivação aos colaboradores. É necessário oferecer condições adequadas, que garantam seu bem-estar e a sua satisfação. Ao demonstrar essas preocupações, as empresas também aumentam as possibilidades de despertar o sentimento de gratidão deles.

*Alexandre Máximo é CEO da Medipreço

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.