Saúde mental em xeque: como não se deixar abater com o momento de pandemia que estamos vivendo

Saúde mental em xeque: como não se deixar abater com o momento de pandemia que estamos vivendo

Ivan Maia*

29 de abril de 2021 | 04h45

Ivan Maia. FOTO: DIVULGAÇÃO

Todos os dias recebo inúmeras mensagens me dizendo que ficar trancado em casa durante esse período de pandemia tem sido perturbador e estressante. Por isso é compreensível que as pessoas estão desenvolvendo cada vez mais problemas com a saúde mental.

Uma pesquisa do Instituto Ipsos mostra que 53% da população do país declarou uma piora no bem estar mental desde o último ano. Ou seja, desde quando a pandemia e o isolamento começaram.

Não tem como negar que a ansiedade e a depressão são as doenças que mais estão presentes entre os brasileiros nesse momento de pandemia. A USP (Universidade de São Paulo) realizou uma pesquisa em onze países, que mostrou que as restrições da quarentena e, principalmente, o isolamento social, fazem do Brasil o país com mais casos dessas duas doenças (ansiedade 63% e depressão 59%).

PRINCÍPIO DO FIM

Para evitar ser mais uma das pessoas atingidas por essas doenças, você precisa combater um mal que eu costumo chamar de princípio do fim, ou pirâmide da morte.

Quem me acompanha há mais tempo sabe bem que o princípio do fim nada mais é do que a ignorância. Ele acontece todas as vezes que você não entende ou conhece algo e também não se interessa em buscar conhecer, simplesmente ignora.

Como um vírus, a ignorância se espalha e hoje é a maior doença do planeta. Mas ela não anda sozinha; ela gera a insegurança e a dúvida, que por sua vez trazem o medo à existência. Quando alojado, o medo tem o potencial de destruir o ser humano e matá-lo tão rápido quanto um tiro.

Quando o medo se junta com a insegurança, ele gera a ansiedade. E quando a ansiedade se mistura com o medo, as preocupações passam a tomar conta dos nossos pensamentos. E é nesse ponto que surgem as doenças, pois nenhuma doença pode se manifestar em nosso corpo físico, sem antes ter sido concebida em nossa mente. Para encerrar o ciclo, as doenças trazem a morte e já não há mais nada o que fazer.

EM QUEM VOCÊ CRÊ?

Agora que sabemos o mal que a ignorância pode causar, você vai precisar definir em quem você acredita.

Não se contente com aquilo que dizem para você, busque você mesmo o conhecimento. Não acredite somente porque saiu na imprensa! Se você quiser saber a verdade sobre algo, você vai precisar cavar para buscar na internet. Busque em agências sérias de notícias, jornais com credibilidade, leia artigos, não engula qualquer coisa que te ofereçam!

Isso que você está fazendo agora é muito importante: buscar a informação e o conhecimento por meio de artigos de pessoas que realmente estudam para saber do assunto.

Depois de ter informações verdadeiras e estando livre de todo lixo que dizem por aí, busque colocar sua cabeça no lugar. Se você não pode sair de casa, encontre algo produtivo para fazer dentro de sua casa, de modo que você consiga otimizar seu tempo. Aproveite sua família e esse momento compartilhado.

O QUE VOCÊ PODE FAZER?

Se alimente melhor, durma melhor, pratique exercícios físicos, aqueles que forem possíveis. E melhor ainda, adote a meditação como prática de exercício mental. Tudo isso vai aumentar sua imunidade e sua capacidade de jogar fora os pensamentos ruins.

Outra importante saída para evitar tudo isso é a solidariedade. Quando nós deixamos de pensar apenas em nós e passamos a enxergar as outras pessoas, sobretudo aqueles que estão em dificuldades nessa época, nós ficamos menos propensos a doenças psicossomáticas.

Então, se você quer ser feliz, faça alguém feliz todo dia. A porta de saída da sua dificuldade é ajudar alguém em dificuldade. Por isso ajude as pessoas, seja um pouco mais paciente, amável, compassivo, abandone o egoísmo ou um dia ele ainda vai acabar com você.

E lembre-se, toda crise traz dentro de si a semente de uma oportunidade! Então encontre o lado bom de tudo o que tem acontecido e dê a volta por cima nessa situação.

Não permita que a ignorância vença, antes vença o medo munido com o verdadeiro amor!

*Ivan Maia, treinador emocional, estrategista empresarial, escritor e palestrante

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.