Saiba como é possível investir nos Estados Unidos sem sair de casa

Saiba como é possível investir nos Estados Unidos sem sair de casa

Francisco Moura Junior*

09 de dezembro de 2020 | 03h00

Francisco Moura Junior. FOTO: DIVULGAÇÃO

Muitas são as vantagens de se investir no mercado americano. Afinal, quem não gostaria de ter rendimentos em dólar e morar no Brasil? E se eu contar que esse cenário é totalmente possível? Entre as inúmeras oportunidades de investimento estão os Automated Teller Machines, mais conhecido como ATM ou, como é chamado no Brasil, os caixas eletrônicos. Toda a operação pode ser acompanhada em tempo real, via internet, por meio de um software.

O investidor se torna o proprietário de uma rede de caixas eletrônicos, recebendo comissões a cada retirada. Não existem aportes mensais para cobrir eventuais riscos ou prejuízos que venham a ocorrer, pois o giro é feito por meio das transações feitas nos caixas. Nos Estados Unidos, quando uma pessoa retira dinheiro em um caixa eletrônico, paga uma taxa média de U$ 2,99 por saque sendo que 30% dessa taxa é transferida para o local onde o caixa eletrônico está instalado, em média 25% são utilizados para serviços de manutenção e administração e o valor restante é para o próprio investidor. Dessa forma, o proprietário do caixa eletrônico receberá U$ 1,34 por transação.

É possível também formar uma rede própria, de acordo com o aporte inicial. O recomendável é um investimento inicial de U$ 100 mil, o que equivale a 10 ATMs. O valor por ATM é de U$ 10 mil, sendo U$ 7,5 mil do ATM com locação por cinco anos e U$ 2,5 mil de capital de trabalho que é o dinheiro que circula, ou seja, está na máquina ou na conta e é aportado uma única vez.

Uma solução interessante que tem sido usada por vários investidores é a compra de uma rede de ATM para ajudar ou custear totalmente a despesas de algum imóvel, seja ele de temporada ou não, que o investidor possua nos EUA, fazendo com que o custo mensal seja suplantado pelo retorno que o investimento dará mensalmente, além da diversificação de capital o investidor passa a ter uma maior diluição de risco.

*Francisco Moura Junior é especialista em ajudar empresários e investidores de outros países a terem seus próprios negócios nos Estados Unidos

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.