Rodrigo Garcia nomeia Sarrubbo procurador-geral de Justiça por mais dois anos

Rodrigo Garcia nomeia Sarrubbo procurador-geral de Justiça por mais dois anos

Governador escolheu nesta quarta-feira, 13, o primeiro lugar da lista tríplice do Ministério Público estadual, que já havia sido indicado pelo então governador João Dória em 2020

Pepita Ortega e Rayssa Motta

13 de abril de 2022 | 14h36

Mario Sarrubbo. FOTO: DIVULGAÇÃO

O governador de São Paulo Rodrigo Garcia (PSDB) reconduziu nesta quarta-feira, 13, Mário Sarrubbo ao cargo de procurador-geral de Justiça do Estado, para um mandato de mais dois anos. Em eleição realizada no sábado, 9, ele conquistou o primeiro lugar na lista tríplice elaborada pelos integrantes do Ministério Público do Estado, tendo recebido 1385 votos – a maior votação da história do MP paulista.

Garcia recebeu Sarrubbo em audiência no Palácio dos Bandeirantes para informá-lo de sua escolha. A nomeação será publicada no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira, 14. A posse perante o Órgão Especial do Colégio de procuradores deve ocorrer na próxima segunda-feira, 18.

“Não foi por acaso que esta foi a maior votação para o primeiro colocado da lista tríplice do Ministério Público de São Paulo. O MP teve uma atuação fundamental durante a pandemia, conduzida por Mario Sarrubbo. Além disso, a instituição tem um papel essencial na democracia, com a fiscalização dos entes governamentais”, afirmou Rodrigo Garcia, em nota divulgada pelo Palácio dos Bandeirantes.

Logo após o resultado da votação, no sábado, 9, Sarrubbo atribuiu seu triunfo a ‘um Ministério Público estratégico’. Ele declarou: “É uma vitória que consagra um trabalho de modernização da instituição. Um Ministério Público que teve a sua proa voltada para o novo século, para o século 21, um Ministério Público que se digitalizou. Mais estratégico, mais resolutivo e muito mais próximo do seu perfil constitucional de 1988, atuando com muita ênfase nas mais variadas missões que a carta constitucional lhe deu”.

Mário Luiz Sarrubbo. FOTO: DIVULGAÇÃO

A segunda eleição que Sarrubbo enfrentou foi mais tranquila – seus dois concorrentes, os procuradores Marcos Hideki Ihara e Fabio Tebecherani Kalaf são seus aliados e receberam 301 e 242 votos, respectivamente. Em 2020, quando Sarrubo foi alçado à chefia do Ministério Público de São Paulo, a disputa foi mais acirrada. Na época, o então candidato da situação, com o apoio de seu antecessor, Gianpaolo Poggio Smanio, recebeu 1.020 votos, enquanto seu opositor, o procurador Antonio Carlos da Ponte, contabilizou 657 votos.

Como mostrou o Estadão, depois de uma sequência de eleições marcadas por embates acirrados, a oposição abriu mão de uma candidatura em 2022, enquanto aguarda o próximo ciclo político.

Em sua primeira campanha à procuradoria-geral do Estado, Sarrubbo disse que queria aproximar sua instituição do perfil que a Constituição de 1988 a ela atribuiu, ‘tornar o MP um indutor das transformações sociais necessárias’.

Avaliando os dois anos de mandato do PGJ, procuradores ouvidos pelo blog afirmaram que Sarrubbo soube conduzir o Ministério Público de São Paulo com aptidão para o diálogo. A abertura para debater propostas é considerada um de seus pontos mais fortes.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.