‘#RenanNão’

‘#RenanNão’

Grupos convocam atos em diversas cidades do País, neste domingo, 20, contra a possibilidade do retorno do emedebista, alvo da Operação Lava Jato, à presidência do Senado

Redação

20 de janeiro de 2019 | 11h07

Renan Calheiros. Foto: EFE/Joédson Alves

Os Movimentos Avança Brasil, Brasil, Curitiba Contra Corrupção, Nas Ruas, Patriotas, Rua Brasil, Vem Pra Rua, entre outros, realizam, neste domingo, 20, manifestações contra o retorno de Renan Calheiros (MDB) à presidência do Senado. Entre os locais de encontro divulgados pelos manifestantes estão a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e a Avenida Paulista, em São Paulo.

Investigado na Operação Lava Jato, o emedebista tenta voltar ao comando da Casa. O voto sigiloso no pleito foi alvo de questionamentos no Supremo Tribunal Federal. O presidente da Corte, Dias Toffoli, rejeitou recurso para divulgar a escolha dos senadores ao cargo na última quinta-feira, 10.

O emedebista presidiu o Senado entre fevereiro de 2005 e outubro de 2007, quando renunciou em meio a suspeitas de corrupção. Entre elas, a denúncia de receber propina da construtora Mendes Júnior, que pagaria as despesas pessoais da jornalista Mônica Veloso, com quem mantinha relacionamento extraconjugal. O caso só foi julgado pelo Supremo Tribunal Federal em setembro do ano passado, quando, por 4 a 0, a Segunda Turma da Corte o absolveu da denúncia de peculato.

O parlamentar voltou à presidência da Casa em 2013, e a ocupou até 2017, quando foi eleito Eunício Oliveira (MDB).

Os manifestantes afirmam que ‘o Brasil mudou e o Senado precisa mudar’. “Uma pessoa com o passado de Renan não pode comandar a casa que representa a federação dos Estados brasileiros”, afirmam, em nota de divulgação dos atos, que se espalham na internet com a hashtag #RenanNão.