Renan: Se delator falasse comigo sobre propina, mandava prendê-lo

Renan: Se delator falasse comigo sobre propina, mandava prendê-lo

Líder do PMDB negou que tenha negociado propina com o diretor de relações institucionais da JBS, Ricardo Saud e aproveitou para alfinetar Michel Temer

Isabela Bonfim / BRASÍLIA

21 de maio de 2017 | 12h22

Renan Calheiros. Foto: Evaristo Sá/AFP

O líder do PMDB, Renan Calheiros (PMDB-AL), negou que tenha negociado propina com o diretor de relações institucionais da JBS, Ricardo Saud. Renan foi citado por Saud em delação e, ao negar ligação com o delator, o senador aproveitou para alfinetar Michel Temer.

“A citação do delator é fantasiosa. O fato dele ter ido a minha casa não significa que tenho qualquer relação com seus atos criminosos. Ele ou qualquer outro delator jamais falaria comigo sobre propina ou caixa 2. Se fizesse isso, eu teria mandado prende-lo”, afirmou Renan por meio de nota.

A reposta de Renan foi uma referência ao pronunciamento do presidente neste sábado, 20. Temer não negou que tenha ouvido os delatores da JBS sobre casos de propina, mas alegou que “não há crime em ouvir reclamações e me livrar do interlocutor indicando outra pessoa para ouvir suas lamúria”. Entretanto, o comportamento do presidente pode ser entendido como omissão.

Tendências: