Relatório de Lorenzoni ‘enfraquece PF’, dizem delegados

Relatório de Lorenzoni ‘enfraquece PF’, dizem delegados

Em nota, entidade de classe avalia que texto do relator do projeto de lei das 10 Medidas contra a Corrupção 'é extremamente prejudicial' à corporação

Julia Affonso, Mateus Coutinho e Fausto Macedo

22 de novembro de 2016 | 15h17

ONIX1 BSB DF 18/08/2016 NACIONAL EMBARGO ESPECIAL PARA FINAL DE SEMANA CAMARA/ONYX LORENZONI Entrevista com o deputado, Onyx Lorenzoni relator do projeto que analisa as dez medidas de combate a corrupcao na Comissao Especial da Camara. FOTO: DIDA SAMPAIO / ESTADAO

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM) relator do projeto que analisa as dez medidas de combate a corrupção na Comissao Especial da Camara. FOTO: DIDA SAMPAIO / ESTADÃO

Os delegados de Polícia Federal informaram nesta terça-feira, 22, que ‘trabalharão’ contra o relatório do deputado Onyx Lorenzoni (DEM/RS). Na avaliação dos delegados, o texto ‘enfraquece a Polícia Federal’.

Os delegados afirmam que ‘ao contrário do que o deputado Lorenzoni vem afirmando, o relatório enfraquece a principal instituição de enfrentamento ao crime e aos desvios de recursos públicos, a Polícia Federal’.

“O relatório é extremamente prejudicial no combate à corrupção”, declara a Associação Nacional dos Delegados de PF.

A entidade aponta quatro pontos que considera ofensivo à PF.

O relatório, afirmam, exclui o Fundo Nacional de Combate à Corrupção, ‘que garantiria os recursos para a Polícia Federal combater a corrupção’.

“Fere a autonomia da Polícia Federal ao prever que equipe conjunta de investigação seja formada pelo ministro da Justiça e não pelo diretor-geral da PF.”

“Exclui a Polícia Federal das ações de cooperação internacional.”

“Permite o arquivamento das investigações diretamente pelo Ministério Público, sem apreciação do Poder Judiciário, característica essa de Estados totalitários.”

“É inaceitável que o Projeto de Lei das dez Medidas Anticorrupção seja utilizado para privilegiar interesses corporativos do Ministério Público Federal, ao invés de enfrentar o fortalecimento das instituições que têm a missão constitucional de atuar na repressão direta à corrupção e ao crime organizado”, assinala a nota divulgada pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal.

“Para garantir que estes preceitos básicos não sejam retirados da Polícia Federal, os delegados federais estarão na Câmara dos Deputados, esta tarde (terça, 22), para debater e apresentar as mudanças necessárias no relatório do deputado Lorenzoni, a fim de que a PF não seja alijada de suas funções estabelecidas pela Constituição Federal.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.