Relações Internacionais da Câmara quer informações da Defesa e do GSI sobre cocaína na comitiva de Bolsonaro

Relações Internacionais da Câmara quer informações da Defesa e do GSI sobre cocaína na comitiva de Bolsonaro

Deputado Alex Manente (Cidadania/SP) protocolou requerimentos no Ministério da Defesa e no Gabinete de Segurança Institucional da Presidência para que informem sobre o caso do militar Manoel da Silva Rodrigues preso em Sevilha, na Espanha, terça, 25

Luiz Vassallo e Fausto Macedo

26 de junho de 2019 | 19h01

Alex Manente. Foto: Helvio Romero

O secretário de Relações Internacionais da Câmara, deputado Alex Manente (Cidadania/SP), protocolou nesta quarta, 26, requerimentos de informação no Ministério da Defesa e no Gabinete de Segurança Institucional da Presidência sobre a prisão do militar da FAB, em Sevilha, na Espanha, com 39 quilos de cocaína.

Manente ‘exige detalhes’ sobre o episódio que define como ‘drogas em comitiva presidencial’ e que está repercutindo na imprensa mundial.

O sargento Manoel da Silva Rodrigues integrava a comitiva de militares que presta apoio à viagem do presidente Jair Bolsonaro, que vai participar em Tóquio da reunião do G-20. A prisão ocorreu nesta terça, 25

No documento, Manente solicita dados sobre o procedimento de embarque do militar na aeronave oficial, ainda em território brasileiro.

“A quais procedimentos de inspeção e segurança foi submetido o referido militar e demais integrantes da comitiva presidencial antes de embarcar nas aeronaves da Força Aérea Brasileira?”, questiona o parlamentar do Cidadania.

Ele pede ‘indicação precisa sobre qual é o procedimento de segurança padrão para voos em missões oficiais no Brasil e no Exterior, com autoridades ou não’.

No requerimento, Manente também solicita a informação sobre eventual registro disciplinar contra Rodrigues.

Manente assinala que ‘os brasileiros têm o direito de saber como 39 quilos de cocaína foram parar’ na comitiva de Bolsonaro. “Qual a origem da droga? Para onde ia? O episódio envergonha o Brasil perante todo o mundo e precisa ser explicado.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: