Reforma da casa de Dirceu custou R$1,8 milhão

Reforma da casa de Dirceu custou R$1,8 milhão

Arquiteta denunciada com o ex-ministro e mais 15 investigados na Lava Jato afirmou à PF que do valor total, R$ 1,3 milhão foi depositado em sua conta corrente e a diferença foi entregue em espécie pelo lobista Milton Pascowitch; veja galeria de fotos

Redação

04 Setembro 2015 | 18h13

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Por Julia Affonso, Ricardo Brandt, Mateus Coutinho e Fausto Macedo

A arquiteta Daniela Facchini, responsável pela obra da casa do ex-ministro José Dirceu (Casa Civil/Governo Lula) em um condomínio de luxo em Vinhedo (SP), entregou à Polícia Federal documentos, fotos, plantas arquitetônicas, notas fiscais e planilhas relacionadas à reforma. José Dirceu está preso preventivamente desde o dia 3 de agosto quando foi deflagra da Operação Pixuleco, desdobramento da Lava Jato. O ex-ministro é acusado de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Documento

A obra teria sido custeada pelo lobista Milton Pascowitch para José Dirceu. O imóvel estava em nome da empresa TGS, de Julio César Santos, ex-sócio de Dirceu.

Em documento anexado aos autos da Operação Lava Jato, a arquiteta afirma que a obra custou R$ 1.814.546,19. Deste total, segundo ela, R$ 1,3 milhão foi depositado em sua conta corrente. A diferença, afirmou Daniela Facchini, foi entregue em espécie pelo lobista Milton Pascowitch.

“Este valor (R$ 1.8 milhão) se refere a obra por completo, incluindo a parte civil, mobiliário, paisagismo, enxoval, utensílios de cozinha, sistema de segurança, dentre outros”, afirmou a defesa da arquiteta em petição à PF. “Os valores da taxa de administração (12%) a qual fazia jus a requerente (Daniela Facchini) foram sendo retidos, totalizando R$ 194.257,71.”

À PF, a arquiteta afirmou que não conhece José Dirceu e só o viu pessoalmente por alguns minutos quando o ex-ministro se aproximou da casa que estava em obra, mas não entrou no terreno. “Ressalva que José Dirceu morava na casa ao lado da casa que estava em reforma”, afirmou em depoimento.

Pascowitch é um dos delatores da Operação Lava Jato. Seus depoimentos deram início à Pixuleco e levaram o ex-ministro para a prisão.

Em depoimento, Daniela Facchini afirmou que conhece Milton Pascowitch há cerca de 5 anos. Segundo a arquiteta, ela foi apresentada ao lobista pelo marido.

“Tem relacionamento social com Milton Pascowitch e á amiga da Mara, esposa de Milton Pascowitch. Que antes da prisão de Milton Pascowitch frequentava a residência deste, da mesma forma que ele e a família frequentavam a residência da depoente”, diz depoimento de Daniela Facchini.

A arquiteta foi denunciada com o ex-ministro José Dirceu e mais 15 investigados, pelo Ministério Público Federal, nesta sexta-feira, 4. Todos são acusados de organização criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro.

O criminalista Roberto Podval, que defende o ex-ministro José Dirceu, disse que vai aguardar intimação da Justiça Federal para apresentar seus argumentos. “O que posso dizer é que está comprovado que o Milton (Pascowitch, delator) enriqueceu às custas de Dirceu, usando o nome de Dirceu”, disse Podval, que também representa o irmão e a filha de Dirceu.

Ele disse que a defesa terá dez dias para entregar a resposta ao juiz Sérgio Moro. “No momento certo vamos à Justiça esclarecer tudo.”

 

Mais conteúdo sobre:

José Dirceuoperação Lava Jato