Recomeçar do meio

Recomeçar do meio

Cassio Grinberg*

18 de novembro de 2020 | 08h30

Cassio Grinberg. FOTO: DIVULGAÇÃO

Fazer o movimento de desaprender — que é esvaziar o HD das coisas que tomamos como verdade e abrir espaço para os novos conhecimentos — é nos oportunizarmos uma renovação.

E também uma revolução sem precedentes.

Desaprender é antecipar o fim e, com isso, postergá-lo. Ao fazer isso, preservamos a safra. E abrimos espaços de reaprendizagem.

A vida recomeça várias vezes, e reaprender é recomeçar do meio.

Para reaprender, é preciso desaprender. Só quem desaprende, aprende de novo.

Nossos espaços são limitados: já experimentou jogar o jogo da memória com uma criança? Ele guarda menos verdades, e portanto vai ganhar de você.

Quanto desaprendemos, nos tornamos mais leves. Quando desaprendemos, dançamos valsa com o tempo.

Seja você mesmo, e não um entrante, a reinventar o seu negócio. Faça isto quando as coisas estiverem bem: mexer em time que está vencendo é vender na alta.

Se desaprender for primeiro disciplina, e depois hábito, será um atalho para a visão periférica.

Questione como sua empresa vem fazendo as coisas, lembrando que o que nos trouxe até aqui não necessariamente será o que nos levará daqui em diante.

*Cassio Grinberg, sócio da Grinberg Consulting e autor do livro Desaprenda – como se abrir para o novo pode nos levar mais longe

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.