‘Reclama com sua sucessora’, disse Moro a Lula, que se queixou de não ter sido convidado para abertura da Copa 2014

‘Reclama com sua sucessora’, disse Moro a Lula, que se queixou de não ter sido convidado para abertura da Copa 2014

no interrogatório a que foi submetido na quarta-feira, 10, ex-presidente disse ao juiz da Lava Jato que não foi ao grande evento esportivo no governo da petista Dilma, nem à inauguração da refinaria Abreu e Lima, foco de corrupção do esquema instalado na Petrobrás

Lauriberto Pompeu, especial para o Blog

12 de maio de 2017 | 05h00

Dilma e Lula durante cermônia de posse. Foto: Adriano Machado/Reuters

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se queixou ao juiz federal Sérgio Moro – durante o interrogatório que se arrastou por cinco horas na quarta-feira, 10 – que ‘não foi convidado’ para a abertura da Copa do Mundo de 2014 e para as Olimpíadas/2016.

O petista depôs como réu da Lava Jato na ação penal do caso triplex – imóvel situado no Guarujá, litoral paulista, que os investigadores atribuem a Lula, o que é negado enfaticamente pela defesa.

Neste trecho de seu longo depoimento, Lula respondia a Moro sobre as obras da refinaria Abreu e Lima, em Recife, empreendimento marcado por suspeitas de irregularidades, superfaturamento, fraudes e desvios. A refinaria da Petrobrás foi o primeiro alvo da Operação Lava Jato, que desmontou sólido esquema de cartel e propinas na estatal entre 2004 e 2008.

Durante o interrogatório, Moro questionou o petista sobre Abreu e Lima.

Lula disse que não foi à inauguração de um setor da refinaria porque ‘não foi convidado’, no final de 2014, ano da Copa.

“Eu não fui chamado, não fui convidado. Doutor, eu não fui convidado para a Copa do Mundo, que fui que trouxe para cá, eu não fui convidado para as Olimpíadas.”

Ao relatar o esquecimento sofrido por ex-presidentes, Lula fez um desabafo ao magistrado. “Doutor, não queira ser ex-juiz, que você vai ver o que vai acontecer.”
“Tem de reclamar com com a sua sucessora”, recomendou o juiz, em alusão à ex-presidente Dilma Rousseff, em cujo governo o grande evento do futebol foi realizado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.