Receita faz mais de 200 ações fiscais na Lava Jato

Diligências e fiscalizações miram empreiteiras, operadores de propinas, políticos e funcionários da Petrobrás; créditos tributários vão ultrapassar bilhões de reais, estimam auditores

Redação

28 de julho de 2015 | 13h40

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Por Julia Affonso e Fausto Macedo

A Receita Federal já instaurou 224 ações fiscais na Operação Lava Jato. Um núcleo de 40 auditores fiscais promove diligências e fiscalizações para apurar sonegação e fraudes. As ações foram abertas junto a empreiteiras, operadores, agentes políticos e funcionários da Petrobrás.

As informações foram divulgadas nesta terça-feira, 28, pela Assessoria de Comunicação da Receita em São Paulo. A Receita observou que não existe, ainda, cálculo fechado de valores que serão lançados.

Com base em ações anteriores similares, o Fisco prevê que serão constituídos créditos tributários que ultrapassam bilhões de reais.

A Lava Jato está em sua 16.ª etapa, esta desencadeada nesta terça-feira, 28, denominada Operação Radioatividade, que prendeu o almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, presidente licenciado da Eletronuclear, e o executivo Flávo David Barra, presidente global da Andrade Gutierrez Energia.

A Lava Jato teve sua fase ostensiva deflagrada em março de 2014 e desvendou amplo esquema de cartel de empreiteiras e corrupção em diretorias estratégicas da Petrobrás. A Polícia Federal estima um rombo de R$ 19 bilhões.

O Ministério Público Federal apresentou denúncia criminal contra 119 réus, dos quais 30 já foram condenados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoReceita Federal

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: