Raquel denuncia Pezão por corrupção, lavagem e organização criminosa

Raquel denuncia Pezão por corrupção, lavagem e organização criminosa

Procuradora-geral da República acisa governador do Rio, preso na Operação Boca de Lobo

Amanda Pupo e Rafael Moraes Moura

19 Dezembro 2018 | 14h45

O governador Luiz Fernando Pezão, na Unidade Prisional da PM, em Niterói. FOTO: FABIO MOTTA/ESTADÃO

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, denunciou nesta quarta-feira (19) o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Outras 14 pessoas também foram denunciadas pelos mesmos crimes. O grupo é investigado no Superior Tribunal de Justiça (STJ), sob relatoria do ministro Felix Fischer.

Documento

Pezão está preso desde o dia 29 de novembro, quando foi deflagrada a Operação Boca de Lobo. O governador do Rio é apontado como líder de organização criminosa e responsável por manter o esquema de recebimento de propina que vigorou no governo de seu antecessor, Sérgio Cabral, preso há dois anos. As investigações em torno de Pezão foram iniciadas com a delação premiada do operador financeiro Carlos Miranda.

Além de denunciar os envolvidos, Raquel também pediu que eles sejam obrigadas a pagar indenização por danos morais no valor de R$ 39,1 milhões e que seja decretada a perda da função daqueles que estiverem ocupando cargos da Administração Pública.

Na denúncia, a chefe da PGR afirma que as práticas ilegais tiveram início em 2007, quando Cabral assumiu o governo do Estado. Segundo Raquel, as apurações revelaram que as empresas deveriam repassar ao esquema criminoso 5% dos valores pactuados para firmar contratos com o governo. Pezão, de acordo com a PGR, se beneficiou de parte desses recursos, criou e manteve um esquema próprio de recebimento de propina, sucedendo Cabral na liderança da organização criminosa.

Na denúncia, Raquel Dodge explica que o pagamento de vantagens indevidas re repetiu em praticamente na maioria das obras de construção civil executadas o Estado na última década. Foram desviados tanto recursos federais – como os destinados ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) -, quanto estaduais.

QUEM RAQUEL DENUNCIOU

Luiz Fernando de Souza – Pezão
José Iran Peixoto Júnior
Affonso Henriques Monerat Alves da Cruz
Marcelo Santos Amorim
Luiz Carlos Vidal Barroso
Cláudio Fernandes Vidal
Luiz Alberto Gomes Gonçalves
César Augusto Craveiro de Amorim
Luís Fernando Craveiro de Amorim
Júlio Walter Sanábio Freesz
Tony Lo Bianco Mahet
Sérgio de Oliveira Cabral Santos Filho
Luiz Carlos Bezerra
José Carlos Reis Lavouras
Sérgio Castro de Oliveira