‘Racista, racista’, gritam para turista preso em restaurante no Arraial d’Ajuda

‘Racista, racista’, gritam para turista preso em restaurante no Arraial d’Ajuda

Homem de 50 anos foi autuado em flagrante porque teria chamado outro de 'macaco' em Porto Seguro, a 700 quilômetros de Salvador, na última quinta-feira, 3; ele pagou fiança de RS 5 mil e está solto

Jayanne Rodrigues

07 de março de 2022 | 15h38

Turista de SP pagou fiança de R$ 5 mil e foi liberado. Foto: Reprodução/ Internet

“Racista, racista”, grita um grupo de pessoas em um vídeo que circula nas redes sociais. O alvo da acusação é um turista de São Paulo, de 50 anos, preso em flagrante por injúria racial e resistência. O caso aconteceu na última quinta-feira, 3, no Restaurante Varanda Mucugê, em Arraial d’Ajuda, distrito de Porto Seguro, a 700 quilômetros de Salvador. Segundo testemunhas, o suspeito teria chamado um homem de ‘macaco’. Após a polícia ser acionada e comparecer ao local, o acusado proferiu ofensas à corporação e ainda resistiu à abordagem. Com isso, um dos policiais deu um mata-leão no homem para conseguir conduzi-lo à delegacia. Veja o vídeo:

O momento foi registrado por alguns clientes do restaurante. De acordo com informações do proprietário do estabelecimento – que afirmou não ter visto os xingamentos -, o investigado teria discutido com a vítima na rua e pouco tempo depois de retornar ao restaurante foi abordado pela guarnição.

Nas imagens, enquanto a população dispara “saia da nossa terra”, o homem diz: “estou dentro do meu direito”. Após alguns segundos, ele pede “filma, filma, ele [policial] está me enforcando”. Um homem que estava acompanhando o acusado, se levanta da mesa e tenta conversar com os policiais e o suspeito. 

Após quase dois minutos de abordagem, o turista é levado para a viatura. Com gritos e aplausos, a PM é ovacionada pelas pessoas. Ele foi encaminhado para a Delegacia Territorial de Porto Seguro e liberado após pagar uma fiança de R$ 5 mil. 

As identidades da vítima e do acusado não foram reveladas pela Polícia Civil. Até a publicação deste texto, a reportagem do Estadão não conseguiu contato com o suspeito. 

O restaurante onde o acusado foi preso, publicou uma nota nas redes sociais. Confira a mensagem na íntegra:

COM A PALAVRA, O RESTAURANTE VARANDA MUCUGÊ

“O Varanda Mucugê esclarece que não tem qualquer tipo de envolvimento com o ocorrido na noite de ontem. Repudiamos qualquer tipo de preconceito e discriminação, e não compactuamos com os atos ou atitudes tomadas pelo cidadão envolvido no lamentável ocorrido em questão.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.