Queiroz deixa presídio no Rio

Queiroz deixa presídio no Rio

Detido desde 18 de junho, ex-assessor parlamentar passará a cumprir prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica

Marcio Dolzan e Fábio Grellet/RIO

10 de julho de 2020 | 21h47

Fabrício Queiroz deixou a prisão em Bangu nesta sexta-feira, 10. FOTO: ALEXANDRE BRUM/ESTADÃO

Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), deixou o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio, na noite desta sexta-feira, 10, conforme informou em nota a secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap) do Rio de Janeiro. Detido desde 18 de junho, ele passará a cumprir prisão domiciliar, e saiu usando tornozeleira eletrônica, segundo a Seap.

Queiroz saiu do presídio a pé, às 21h49, usando máscara. Um carro preto o aguardava em frente à portaria, e ele entrou rapidamente, tentando se esconder da imprensa. O carro saiu em alta velocidade.

A transferência da penitenciária para sua casa no Rio foi determinada na quinta-feira, 9, pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha, que estendeu o benefício também à mulher de Queiroz,  Márcia Oliveira de Aguiar. Ela, contudo, segue foragida. Segundo a Seap, Márcia deve comparecer à Coordenação de Patronato Magarinos Torres, da própria pasta, para que seja instalada sua tornozeleira eletrônica.

Assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro à época em que o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) era deputado estadual no Rio, Queiroz é investigado em suposto esquema de rachadinha no gabinete de Flávio. Ele havia sido preso no mês passado em Atibaia, no interior de São Paulo, em endereço ligado a Frederick Wassef, então advogado do hoje senador.

Para fundamentar o pedido de prisão domiciliar, a defesa de Queiroz citou o estado de saúde do ex-assessor parlamentar e o contexto de pandemia, além de criticar o próprio pedido de prisão.

Tudo o que sabemos sobre:

Fabrício Queiroz

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: