Queiroz cobrou contracheque para ‘prestar contas’ e ‘embaraçou’ depoimento de servidora do gabinete de Flávio Bolsonaro, diz MP

AO VIVO

Eleições: 2020: notícias, resultados e apuração do 2° turno

Queiroz cobrou contracheque para ‘prestar contas’ e ‘embaraçou’ depoimento de servidora do gabinete de Flávio Bolsonaro, diz MP

Em mensagens trocadas com Danielle Mendonça, mulher do ex-capitão do BOPE Adriano Magalhães e suposta funcionária fantasma, ex-assessor parlamentar diz que ela deve ter 'cuidado com que vai falar no celular'; Queiroz também demonstrou preocupação com 'exposição' durante as eleições

Paulo Roberto Netto e Fausto Macedo

18 de dezembro de 2019 | 20h31

Atualizada em 19.12 às 11h22 com posicionamento da defesa de Fabrício Queiroz*

Mensagens trocadas por Fabrício Queiroz e Danielle Mendonça, suspeita de ser funcionária fantasma no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, comprovariam que o esquema de ‘rachadinha’ era conduzido pelo ex-assessor parlamentar com conhecimento de seus superiores como a própria servidora tinha ciência da ilegalidade dos repasses. As acusações constam em relatório do Ministério Público do Rio de Janeiro que basearam operações contra Queiroz nesta quarta-feira, 18.

Ex-assessor Fabrício Queiroz. FOTO: SBT

De acordo com o documento, Queiroz trocou mensagens com Danielle pedindo cópias de seus contracheques e declaração de imposto de renda para ‘prestar contas’, demonstrou preocupação com a ‘exposição’ que a campanha de Flávio em 2018 pudesse trazer para o esquema de rachadinha e até interferiu no depoimento prestado por Danielle ao MP após a revelação do esquema, pedindo ela que faltasse: ‘Cuidado com que vai falar no celular’, teria alertado.

Em novembro do ano passado, Queiroz teria dito que ele e Danielle continuariam ‘juntos em 2019’, mas após a revelação pelo ‘Estado’ das movimentações financeiras atípicas na conta do ex-assessor parlamentar, Danielle foi exonerada do cargo. Leia os diálogos:

[27 de novembro de 2018]
Queiroz: Vamos continuar juntos em 2019
Queiroz: Acho que vai dar para continuar
Danielle: que assim seja

[06 de dezembro de 2018 – Após a revelação do caso Queiroz]
Danielle: Boa tarde meu amigo. Depois lembra de passar a senha por favor
Danielle: Outra coisa. Vc sabe quando vai entrar o pagamento?
Danielle: Beijo
Queiroz: Ainda não caiu?
Danielle: [Encaminha imagem do contracheque de novembro]
Danielle: Dia 30/11
Queiroz: Então vc foi para exonerada
Danielle: Ahhh me tira de lá
Danielle: Tem como?
Queiroz: Sério
Queiroz: Tá havendo problemas
Queiroz: Cuidado com que vai falar no celular
Danielle: Eu sei
Danielle: Mas há a possibilidade de receber álibi ajnfa
Danielle: algo?
Queiroz: Não
Danielle: Meu deus
Queiroz: [Compartilha imagem da reportagem do ‘Estado’ sobre o caso]
Danielle: Não estava sabendo de nada
Danielle: Mas vc acha que eu volto?
Queiroz: Pode ser que sim

Em janeiro, a assessora é convocada para depôr. Apesar das mensagens de Queiroz estarem apagadas, o Ministério Público afirma que ‘foi possível compreender pelo contexto das respostas de Danielle Mendonça que Fabrício Queiroz queria saber se ela fora chamada a depor pelo Ministério Público e, diante da confirmação, determinou que faltasse ao depoimento, além de deixar claro ter ciência de que a organização criminosa (‘os amigos’) teria providenciado advogados para os envolvidos.

Queiroz: [mensagem excluída]
Queiroz: [mensagem excluída]
Danielle: Que bom
Queiroz: [mensagem excluída]
Queiroz: [mensagem excluída]
Danielle: Chamaram sim
Queiroz: [mensagem excluída]
Queiroz: [mensagem excluída]
Danielle: Um policial veio aqui na quinta feira passada. Amanhã será o dia do depoimento
Queiroz: Ah
Danielle: [compartilha foto da intimação do MP]
Queiroz: [mensagem excluída]
Queiroz: [mensagem excluída]
Danielle: Tb
Queiroz: [mensagem excluída]
Queiroz: [mensagem excluída]
Queiroz: [mensagem excluída]
Queiroz: Bjs
Danielle: Eu já fui orientada. Ontem eu fui encontrar os amigos
Queiroz: Eu sei
Danielle: Fique bem. Todos nós ficaremos bem
Danielle: Beijo no coração
Queiroz: Outro

Ainda em janeiro, Danielle conversa com duas amigas, ‘Meme’ e ‘Paty’, revelando ter ciência de sua participação no esquema ilícito e que havia integrado o gabinete por influência de seu ex-marido, o ex-capitão do BOPE Adriano Magalhães de Nóbrega, foragido desde julho e suspeito de liderar milícia na zona oeste do Rio.

Em 09 de janeiro, Daniele revela a ‘Meme’ que estava ‘incomodada’ com a origem do dinheiro que recebia e que ‘Deus deve ter ouvido’.

Danielle: Enfim amiga… por outro lado, eu não sei se comentei com você, mas eu já vinha um tempo muito incomodada com a origem desse $ na minha vida. Sei lá… Deus deve ter ouvido.

Uma semana, Danielle conversa com outra amiga, ‘Paty’, na qual a amiga lembra que foi Adriano Nóbrega quem ‘arrumou’ sua nomeação para funcionária fantasma e por não ser legal, Danielle poderia ‘ter se enrolado’ com a Justiça.

Paty: Claro que lembro mas isso foi ele que arrumou nem era uma coisa digamos assim legal então por isso eu acho que ele poderia te dar esse valor
Paty: Até mesmo porque você poderia ter se enrolado com isso

Prestação de contas. Mensagens de 2017 e 2018 trocadas entre Danielle e Queiroz apontam que o ex-assessor ‘prestava contas’ a terceiros sobre o contracheque dos servidores do gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj.

No início de 2018, enquanto estava de férias, Queiroz pediu a Danielle enviar cópia de seu comprovante de rendimento. Prática que já havia realizado em março de 2017 e que viria a se repetir em abril do ano passado, na qual também pediu cópia da declaração de imposto de renda da servidora. Apesar de ser servidora lotada no mesmo gabinete de Queiroz, o repasse dos documentos era por via eletrônica ou por terceiros — a prática aponta que Danielle não comparecia à Alerj, segundo o MP.

[04 de janeiro de 2018]
Queiroz: Boa noite amiga
Queiroz: estou de férias e não peguei o seu contra cheque
Queiroz: vc pode me informar o valor qie [que] foi depositado esse mês para eu prestar a conta
Queiroz: bom dia
Danielle: Oi meu amigo bom dia. Estou na estrada viajando. Assim que parar eu vejo isso e te envio beijo.
Queiroz: já resolvi
Queiroz: foi normal

[03 de abril de 2018]
Danielle: Bom dia meu amigo. Saiu o informativo? Beijo e cuidado na rua
Queiroz: Saiu sim
Danielle: Pode passar por e-mail?

[09 de maio de 2018]
Queiroz: Meu amigo bom dia. Como posso te entregar o IR? Só estarei domingo com minha prima. Ela mora em Copacabana.
Queiroz: Vamos pensar…n
Queiroz: amiga. precisamos da cópia do sei [seu] IR
Danielle: Oii sua filha está no Downtown ainda?
Danielle: Posso deixar lá com ela ou com aquela miga dela que mora próximo a mim?

A prática de repasse de cópia do imposto de renda também ocorreu em 2017, e a troca de mensagens, segundo o MP, comprovam que desde aquela época a assessora não prestava serviços ou sequer comparecia à ALERJ.

[30 de março de 2017]
Queiroz: Vou te enviar o comprovante anual
Queiroz: De renda
Danielle: Tá ótimo
Queiroz: É os contra cheques que estão aqui
Danielle: Quer meu endereço?
Queiroz: Me passa o endereço
Danielle: Ou quer que eu busque com Evelyn [filha de Queiroz, também investigada por ser funcionária fantasma]
Queiroz: A faculdade dela é lá em frente ao barra shopping
Queiroz: É a mesma faculdade. Mas voltou para onde era antes.
Queiroz: Na primeira rua após o posto de gasolina em frente ao barra shopping
Queiroz: [Compartilha o contato ‘Lila da Minha Vida’, que seria de Evelyn]
Queiroz: Combina com ela
Queiroz: Vou levar hj
Danielle: Posso buscar na segunda?
Queiroz: Combina com ela. Não sei bem os dias dela de aula.

[06 de abril de 2017]

Danielle: Oi Queiroz. Eu esqueci de buscar. Desculpa. Mas eu posso ainda ir ao encontro dela ou você prefere enviar?

[11 de abril de 2017]

Queiroz: conseguir [consegue] fazer sei [seu] IR com a foto do contra cheque?
Danielle: Ainda não chegou
Danielle: Ah. Você fala em me enviar a foto?
Danielle: Quer me enviar por e-mail?
Danielle: Scaneando?
Queiroz: me passa seu endereço do imal e residência
Queiroz: amanhã coloco no correio todos seus contras
Danielle: Não chegou
Queiroz: estou te enviando agora pelo imal
Danielle:
Queiroz: calma

[15 de maio de 2017]

Queiroz: preciso da sua cópia da declaração do ir x com aquela declaração
Danielle: Oi meu amigo. Qd posso deixar com sua filha?
Queiroz: [Compartilha o contato ‘Lila da Minha Vida’, que seria de Evelyn]
Danielle: Tá meu amigo. Eu vou fazer contato com ela
Danielle: Preciso tirar uma xerox e te enviar né?
Queiroz: isso. E declaração com o recibo.

Exposição. Outra troca de mensagem entre Queiroz e Danielle ocorreu no final de 2017, quando o ex-assessor demonstrou preocupação com a manutenção de Danielle Mendonça como servidora devido à exposição sobre Flávio Bolsonaro, que concorreria no ano seguinte a uma cadeira no Senado. Segundo o MP, o receio era que a projeção do deputado estadual lançasse olhares sobre os servidores do gabinete.

[05 de dezembro de 2017]

Queiroz: quando vc puder, queira te encontrar e entregar seus contras e conversar vc.
Danielle: Oi meu amigo. Bom dia. Ah podemos sim. Só me avisar
Danielle: É conversa boa ou ruim?
Queiroz: sobre seu nome… não querem correrem risco, tendo em vista que estão concorrendo e visibilidade que estão
Queiroz: eu disse que vc está separada e está se divorciando
Danielle: Ah entendi. Verdade meu amigo
Queiroz: vcs estão se divorciando?
Danielle: Não
Queiroz: Hummm
Danielle: Continuamos casados
Danielle: Separados de corpos
Danielle: Você acha que vai pegar alguma coisa?
Queiroz: estão fazendo um pente fino nos funcionários e família deles
Queiroz: saiu uma matéria já no globo de domingo
Danielle: Ah não leio jornal nem vejo tv (jornal). Fico por fora
Danielle: Mas me segura lá
Queiroz: tentarei

COM A PALAVRA, A DEFESA DE FABRÍCIO QUEIROZ
“A defesa técnica de Fabrício Queiroz destaca inicialmente que curiosamente o ex-deputado estadual e atual senador Flávio Bolsonaro não foi objeto de pedido de busca e apreensão, nada abstante todos os demais alvos da medida estejam a ele relacionados, o que, ao que parece, foi uma manobra para fugir da discussão quanto ao foro por prerrogativa de função uma vez que o próprio MP reconheceu que o Juízo da 27 Vara criminal seria incompetente. Mais uma vez valores milionários vem sendo apresentados de forma distorcida, para que a opinião pública veja ilegalidades onde nao há. Se contextualizarmos os fatos, os referidos valores foram recebidos ao longo de 10 anos, repita -se, 10 anos, sendo que na sua quase totalidade fruto dos rendimentos da própria família que, como dito, centralizavam seus pagamentos na conta do sr Fabrício. No mais, embora se insistiam em criar escândalos, como já devidamente esclarecido, o Sr Fabrício Queiroz recebia parte dos salários de alguns assessores para aumentar a base de atuação do deputado, ou seja, com a mesma finalidade pública dos recursos, não constituindo qualquer ilegalidade. Por fim, o senhor Fabrício Queiroz e sua família aguardam com serenidade a oportunidade de apresentarem sua defesa em juízo, ocasião que certamente os fatos serão analisados por um juiz imparcial e justo que reconhecerá que não houver qualquer crime praticado.”

COM A PALAVRA, O SENADOR FLÁVIO BOLSONARO
A reportagem entrou em contato com o gabinete e com a defesa do senador Flávio Bolsonaro e aguarda resposta. O espaço está aberto a manifestações (paulo.netto@estadao.com e fausto.macedo@estadao.com)

Tudo o que sabemos sobre:

Fabrício José Carlos de Queiroz

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.