Quebra de sigilo leva Controladoria à empresa de fachada em obras públicas na Paraíba

Quebra de sigilo leva Controladoria à empresa de fachada em obras públicas na Paraíba

Força-tarefa da CGU, Polícia Federal e Procuradoria deflagraram nesta terça, 30, a terceira fase da Operação Recidiva para desarticular organização criminosa que fraudava licitações em pelo menos quatro municípios

Redação

30 de abril de 2019 | 12h44

CGU. Foto: CGU

Força-tarefa da Controladoria-Geral da União, Polícia Federal e Procuradoria deflagraram nesta terça, 30, na Paraíba, a terceira fase da Operação Recidiva, com objetivo de desarticular organização criminosa supostamente responsável por fraudar licitações em diversos municípios do interior do Estado.

22/11/2018 – Operação Recidiva (PB) – 1ª fase

11/12/2018 – Operação Recidiva (PB) – 2ª fase

Segundo a Controladoria, a partir de ordem judicial, foram quebrados os dados bancários, fiscais e telefônicos dos investigados, que ‘comprovaram o envolvimento de empresa de fachada na execução de obras públicas, com valores envolvidos de mais de R$ 5 milhões’.

O prejuízo será calculado no decorrer da investigação.

A Operação Recidiva consiste no cumprimento de 12 mandados de busca e apreensão nas prefeituras de Bayeux, Emas, Mogeiro e Patos; em sete residências; na sede de uma construtora em Mogeiro; e em uma casa lotérica localizada no município de Salgado de São Félix.

A força-tarefa mobiliza oito auditores da CGU e 55 policiais federais.

Os investigados devem responder por fraude licitatória, corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa, entre outros crimes.

Alguns envolvidos já foram investigados no âmbito das Operações Dublê, Desumanidade e Carta Marcada, destaca a Assessoria de Comunicação Social da Controladoria.

Tendências: