‘Que sofra bastante com um câncer’, diz a advogado juiz eleitoral do Amazonas

‘Que sofra bastante com um câncer’, diz a advogado juiz eleitoral do Amazonas

Frase foi dita por Bartolomeu Ferreira de Azevedo Júnior, durante sessão de julgamento do Tribunal Regional Eleitoral, que julgava na sexta, 26, mandado de segurança da defesa do governador Amazonino Mendes (PDT)

Pedro Prata, especial para o Estado

01 Novembro 2018 | 11h51

Foto: Reprodução

O juiz Bartolomeu Ferreira de Azevedo Júnior causou surpresa ao dizer, durante uma sessão do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), que não podia fazer nada senão desejar que ‘Deus leve’ os advogados que contestavam uma decisão sua, mas que ‘antes sofram bastante com um câncer’.

O caso ocorreu na última sexta, 26, numa sessão que julgava mandado de segurança, com pedido liminar, movido pelos advogados do candidato à reeleição a governador Amazonino Mendes (PDT), Yuri Dantas e Daniel Nogueira, contra uma decisão tomada anteriormente por Bartolomeu.

“Tenho que julgar conforme a lei. Não posso atingir aqui as pessoas com um processo”, disse o magistrado. “Não posso me vingar porque eu seria um cretino, uma pessoa que não seria digna de estar sentada aqui. Então, a única coisa que eu posso pedir contra essas pessoas que fazem isso contra a minha pessoa é que Deus leve, mas que antes sofra bastante com um câncer”.

O juiz afirmou ao Estado que não estava se direcionando diretamente aos advogados presentes na sessão, mas sim, de forma genérica a todos que lhe ‘desejam o mal’.

Bartolomeu de Azevedo Júnior acredita, ainda, que a atuação dos advogados de Amazonino é motivada pelo momento de eleições. “Entendo que não é algo relacionado a mim, mas a quem estivesse na posição de julgar a propaganda eleitoral”, opinou. “Outros juízes anteriores a mim sofreram a mesma coisa”.

“Você não pode atingir a honra de quem profere as decisões”, disse o magistrado. “Eu respeito a atuação dos advogados, mas não vou permitir ser intimidado”.

COM A PALAVRA, O PRESIDENTE DA OAB NO AMAZONAS

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Seccional Amazonas, Marco Aurélio de Lima Choy, é sócio do advogado Daniel Nogueira. Ele acredita que ambos foram atingidos pelo discurso do juiz Bartolomeu de Azevedo Júnior.

“Vamos encaminhar o caso para a Comissão Nacional de Prerrogativas do Conselho Federal da OAB, uma vez que nós dois e o doutor Bartolomeu somos conselheiros federais de lá”, informou Marco Aurélio Choy ao Estado. “Provavelmente vamos encaminhar ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) também, mas ainda estamos analisando as circunstâncias”.

COM A PALAVRA, O JUIZ BARTOLOMEU

“Entendo que não ofendi a honra de ninguém, pessoalmente. Estava na minha fala de magistrado e apenas me manifestei.”