‘Que ninguém esteja acima da lei e que ninguém esteja abaixo da lei’

‘Que ninguém esteja acima da lei e que ninguém esteja abaixo da lei’

Sabatinada no Senado para o cargo de chefe do Ministério Público Federal, Raquel Elias Ferreira Dodge, indicada por Temer, se compromete a 'realizar com temperança e serenidade seu projeto de trabalho'

Da Redação

12 de julho de 2017 | 11h11

Raquel Dodge. FOTO: AMANDA PEROBELLI/ESTADÃO

A subprocuradora-geral da República Raquel Elias Ferreira Dodge, indicada pelo presidente Michel Temer para ocupar a cadeira que Rodrigo Janot, seu algoz, ocupa há quase quatro anos, disse nesta quarta-feira, 12, que pretende executar um projeto de trabalho ’em que ninguém esteja acima da lei e ninguém esteja abaixo da lei’.

“Buscarei agir com firmeza, equilíbrio e confiança, sempre em busca do cumprimento da Constituição e da lei com imparcialidade, de modo coerente com a atitude que adotei ao longo de toda a minha carreira profissional”, ela declarou, durante sabatina a que está sendo submetida no Senado.

Temer escolhe Raquel Dodge, não alinhada a Janot

+ ANÁLISE: Raquel Dodge e a Lava Jato

Procuradores da Lava Jato dizem sim a Raquel Dodge

Há quase 30 anos na carreira, Raquel disse que o País mudou muito nesse tempo ‘para melhor’. “A democracia precisa de instituições fortes.”

Ela pregou a ‘proteção do interesse público’ e o ‘enfrentamento da corrupção’ – condutas que, segundo ela, continuarão a ser prioridade do Ministério Público Federal.

“A corrupção desvia dinheiro público de serviços essenciais, como saúde, educação, energia, transportes. Eleva o Custo Brasil.”