Protegendo seu crédito durante o surto do coronavírus

Protegendo seu crédito durante o surto do coronavírus

Alexandre Graff*

09 de abril de 2020 | 07h00

Alexandre Graff. FOTO: DIVULGAÇÃO

O aumento do número de casos de coronavírus está causando um impacto negativo no bem-estar econômico dos brasileiros. A natureza incomum dessa pandemia resultou no fechamento temporário das escolas, no cancelamento de eventos e na interrupção da distribuição de bens e serviços, e isso pode prejudicar a capacidade de algumas pessoas de pagar as contas em dia.

Considerando que o Cadastro Positivo ainda é uma novidade para muitos no Brasil, você pode estar se perguntando, ou ainda não ter pensado, sobre como esta situação pode afetar seu “score de crédito” e que implicações futuras isso pode trazer a você.

Essas são questões importantes a serem consideradas porque seu score, ou sua pontuação, influencia diretamente no crédito disponível e em termos como taxas de juros e quantidade de crédito concedido. É importante ressaltar que condições de saúde e doenças não são consideradas e não afetarão diretamente seu score. No entanto, a falta ou atraso de um pagamento, a utilização de cartões de crédito até o limite ou a abertura de várias contas de crédito em um curto período podem ter um impacto negativo na sua pontuação.

Então, o que você deve fazer para ajudar a si mesmo e monitorar as alterações na sua pontuação se sua situação financeira tiver sido afetada pelo coronavírus?

Antes do vencimento dos pagamentos, entre em contato com seu banco e com outros credores o mais rápido possível para informá-los da sua situação. Seu credor provavelmente já tem procedimentos para trabalhar com clientes afetados por essa emergência, ou terá alguma recomendação nesse sentido em breve. Já estamos vendo aqui no Brasil, por exemplo, que alguns bancos vão prorrogar o vencimento das dívidas por 60 dias. Uma resolução do governo buscou estabelecer, em função dos impactos da covid-19 na economia, critérios temporários para a caracterização das reestruturações de operações de crédito para fins de gerenciamento de risco. A resolução consiste em minimizar o impacto na provisão para dívidas renegociadas para clientes adimplentes até 30 de setembro, mantendo o rating atual dos mesmos, além de permitir condições de negociação que apoiem os clientes impactados neste momento.

Isso significa que seus credores podem trabalhar com você para aumentar seu crédito disponível, estabelecer um plano de pagamento temporário com maior prazo ou colocar temporariamente o empréstimo em tolerância (você pode obter um alívio temporário não efetuando o pagamento integral). Tanto a renegociação do prazo de pagamento como a tolerância do empréstimo não têm um impacto negativo no seu score.

É provável que cada credor tenha suas próprias políticas exclusivas. Portanto, se tiver empréstimos de diferentes instituições financeiras, entre em contato com cada uma delas para cobrir todas as suas bases.

Por conta da natureza ampla e sem precedentes dessa pandemia, os provedores de serviços financeiros podem atualizar ou revisar suas políticas e práticas, dependendo de como a situação irá evoluir. Dessa forma, é importante sempre nos mantermos informados para gerenciar da melhor maneira possível nossa saúde financeira durante o surto do coronavírus.

Sempre lembrando, nunca deixe de cumprir seus compromissos. Na crise, negocie, sempre!

*Alexandre Graff, presidente da FICO América Latina e Caribe

Tudo o que sabemos sobre:

Artigocoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.