Promotoria pede para PF investigar vereador Fernando Holiday

Promotoria pede para PF investigar vereador Fernando Holiday

Político do DEM que ganhou fama como representante do MBL nos protestos pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff é suspeito de não ter declarado gastos com cabos eleitorais; assessoria diz que próprio parlamentar pediu para o MP apurar suas contas

Mateus Coutinho e Valmar Hupsel Filho

30 Março 2017 | 10h37

Brasília DF 06-09-2016 POLITICA O coordenador do Movimento Brasil Livre, Fernando Holiday, protocola no Senado pedido de impeachment do presidente do STF, Ricardo Lewandowski FOTO Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O coordenador do Movimento Brasil Livre, Fernando Holiday. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Ministério Público do Estado de São Paulo encaminhou à Polícia Federal dois pedidos de abertura de inquérito para apurar as contas do vereador de São Paulo Fernando Holiday (DEM). A informação foi divulgada ontem pelo site Buzzfeed Brasil e confirmada pelo MP e pela Polícia Federal, que até o momento ainda não deu encaminhamento às solicitações do Ministério Público.

Um dos pedidos de inquérito foi encaminhado pelo promotor eleitoral da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Luiz Henrique Dal Poz, nesta terça-feira (28), baseado em uma representação do PT. O outro pedido de inquérito foi feito pela promotora Ana Beatriz Frontini, da 6a zona eleitoral, juntou as duas representações – a do PT e outra do próprio Holiday.

As suspeitas de irregularidades nas contas do vereador, que é representante do Movimento Brasil Livre, que ajudou a organizar os protestos pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff surgiram após uma reportagem da jornalista Tatiana Farrah, do site Buzzfeed Brasil revelar que a campanha de Holiday não teria declarado o pagamento a um grupo cabos eleitorais na campanha à Câmara dos Vereadores no ano passado.

Segundo a reportagem, planilhas indicam que o número de cabos eleitorais não declarados pode chegar a 26.

Holiday ganhou fama nos protestos pelo impeachment de Dilma e, assim como seu grupo, vem se manifestando contra propostas discutidas no Congresso em resposta aos avanços das investigações da Lava Jato, como a anistia ao caixa 2. Em protesto realizado no domingo, Holiday voltou a criticar o caixa 2.

“Não interessa se o presidente da Câmara [dos Deputados] é do DEM, nós não vamos engolir anistia ao caixa 2, não vamos engolir o foro privilegiado”, discursou.

COM A PALAVRA, A ASSESSORIA DE FERNANDO HOLIDAY:

“Fernando Holiday solicitou ao Ministério Público, ele próprio, que suas contas de campanhas fossem investigadas no intuito de desmascarar os blogs e jornalistas militantes, deixando tudo às claras. Portanto, fica contente em saber que o inquérito está com a Polícia Federal, entidade que valoriza e conta com sua inteira confiança. Esperamos que tudo se esclareça o mais breve possível , expondo os mentirosos que, a seu tempo, serão todos devidamente processados.”

 

Notícias relacionadas

Mais conteúdo sobre:

MBLFernando HolidayCaixa 2