Promotoria mira organização criminosa na Gestão Ambiental do governo Morando, em São Bernardo

Promotoria mira organização criminosa na Gestão Ambiental do governo Morando, em São Bernardo

Operação Barbatanas investiga secretário Mário Henrique de Abreu, sob suspeita de montar esquema de corrupção; prefeito tucano anuncia exoneração do aliado e de outros dois integrantes da Pasta no município do ABC paulista

Olga Bagatini, especial para o Blog

31 de outubro de 2017 | 16h42

Orlando Morando. Foto: Sérgio Castro/Estadão

A Secretaria de Gestão Ambiental do governo Orlando Morando (PSDB), de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, foi alvo nesta terça-feira, 31, da Operação Barbatanas, ação conjunta do Ministério Público do Estado e da Polícia Civil. Sete investigados, entre eles o secretário Mário Henrique de Abreu, foram denunciados por organização criminosa, corrupção passiva e concussão.

OUTRAS DO BLOG: Moro autoriza provas da Odebrecht em investigação sobre palestras de Lula

+ Tribunal de Contas da Bahia paga R$ 10 mil para 3 servidores na Olimpíada de Brasília

Olimpíada não tem ‘relação com atividade-fim’ do Tribunal de Contas, diz Corte do RS

PF aponta desvio de R$ 2 mi da merenda de 52 escolas do Amapá

Executivos da Gerdau viram réus na Zelotes

A ação teve apoio de dez promotores de Justiça, vinte policiais do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil (Goe) e dez viaturas da polícia para cumprir os dez mandados de busca e apreensão contra os investigados.

A secretaria foi um dos locais revistados, assim como a residência de Mário de Abreu, que também é vereador licenciado pelo partido do prefeito Morando.

Foram apreendidos 19 computadores, 8 celulares, diversos pendrives e documentos que serão levados ao Grupo de Atuação Especial em Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço do Ministério Público que investiga esse tipo de crime.

A 12.ª Promotoria de Justiça, que apura supostos atos de improbidade dos agentes públicos, informou que vai pedir a indisponibilidade dos bens dos investigados junto à Vara da Fazenda Pública de São Bernardo.

Além da busca e apreensão, o Grupo de Atuação Especial em Combate ao Crime Organizado tomou medidas cautelares, como a retenção de passaporte dos investigados e a proibição de contato dos investigados com testemunhas.

A prisão preventiva do grupo chegou a ser pedida pelo Ministério Público, mas a Justiça não acatou. A Promotoria vai recorrer.

COM A PALAVRA, O GOVERNO ORLANDO MORANDO

A Prefeitura de São Bernardo do Campo informou que recebeu a denúncia da Promotoria ‘com surpresa’ e que já afastou os funcionários investigados. Segundo a Prefeitura, foi instaurado processo administrativo para apurar o caso.

“O prefeito Orlando Morando determinou a exoneração imediata do secretário de Gestão Ambiental, Mario Henrique de Abreu, do diretor de Licenciamento Ambiental Sergio de Sousa Lima, e chefe de seção, Tiago Alves Martinez, por não concordar com a situação e colaborando com a justiça”, afirmou, em nota, a Prefeitura.

Tudo o que sabemos sobre:

Orlando MorandoSão Bernardo do Campo

Tendências: