Promotoria arquiva inquérito de caixa dois na campanha de Mercadante

Promotoria arquiva inquérito de caixa dois na campanha de Mercadante

Promotor Luiz Henrique Cardoso Dal Poz, da área eleitoral do Ministério Público Estadual de São Paulo, afirma que delação do empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC Engenharia, apresentou 'imprecisões' e não foi confirmada pelas investigações que citavam ex-ministro que foi candidato ao governo paulista em 2010

Luiz Vassallo e Julia Affonso

18 Junho 2018 | 16h33

SCA5421 SÃO PAULO 09/10/2015 – METRÓPOLE – ESPECIAL EMBARGADO – ENTREVISTA MINISTRO DA EDUCAÇÃO ALOÍSIO MERCADANTE.FOTO SERGIO CASTRO/ESTADÃO.

O promotor de Justiça eleitoral Luiz Henrique Cardoso Dal Poz promoveu o arquivamento do inquérito sobre suposto caixa dois na campanha do ex-ministro Aloízio Mercadante (PT) ao governo de São Paulo, em 2010. A investigação tinha como base a delação premiada do empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC Engenharia, no âmbito da Operação Lava Jato.

+ Auditoria internacional vai rever projetos do BNDES sob suspeita da Lava Jato

A informação sobre a promoção de arquivamento do inquérito contra Mercadante foi divulgada pelo repórter Walace Lara, da TV Globo, e confirmada pela reportagem do Estadão.

+ Comissão de Ética da Presidência arquiva processo contra Mercadante na Lava Jato

Ricardo Pessoa afirmou ter feito doações de R$ 250 mil em espécie ao então candidato petista, não registradas no Tribunal Superior Eleitoral. Ele afirmou que houve uma reunião entre o coordenador de campanha do Aloízio e o presidente da Constran – integrante do grupo UTC-, João Eduardo Cerqueira de Santana, para os supostos acertos.

+ Cervejaria apontada como laranja doou a 81 políticos

Para o promotor, ‘os informes de Ricardo Pessoa, além das referidas divergências e imprecisões de temas nucleares, não foram confirmados por outras circunstâncias, tanto no âmbito da prova pessoal, documental ou pericial, remanescendo somente as suas versões’.

+ Delator diz que Dilma ‘escalou’ Mercadante interlocutor ‘junto à Odebrecht’ para a Lava Jato

“Não se ignora que tais movimentações financeiras (caixa 2) são caracterizadas pela clandestinidade e ação fraudulenta de seus operadores, razão pela qual, a somatória das circunstâncias indiciárias não raras vezes são, acertadamente, suficientes até mesmo para o desate condenatório. Não é o caso destes autos”, afirmou.

COM A PALAVRA, MERCADANTE

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa. O espaço está aberto para manifestação.