Promotoria denuncia vereador em Mato Grosso e mais 34 por associação ao tráfico

Promotoria denuncia vereador em Mato Grosso e mais 34 por associação ao tráfico

Calistro Lemes do Nascimento (PSD), o 'Jânio Calistro', da Câmara de Várzea Grande, foi pego em grampos daPolícia Civil nos quais discutia o comércio e aquisição de entorpecentes na região metropolitana de Cuiabá

Pedro Prata

09 de março de 2020 | 16h13

Atualizada às 21h de 30 de março de 2020 para posicionamento do vereador Calistro Lemes do Nascimento.

A Promotoria de Mato Grosso apresentou denúncia contra o vereador Calistro Lemes do Nascimento (PSD), de Várzea Grande, município vizinho a Cuiabá, e outras 34 pessoas por associação ao tráfico de drogas. Alguns investigados também foram denunciados por tráfico de drogas consumado. O político foi preso em 19 de dezembro último, na deflagração da Operação Cleanup, da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes da Polícia Civil, que combateu líderes do tráfico ligados à facção carioca Comando Vermelho na cidade.

Documento

O vereador, conhecido como ‘Jânio Calistro’, é escrivão de polícia aposentado. Ele foi pego em grampos telefônicos e mensagens trocadas por aplicativos de mensagens que mostraram ‘relação estreita’ com João Vanderson, vulgo ‘Peruca’, e Antonino, o ‘Zé Berinha’.

Durante o período em que foram monitorados pela Polícia Civil, eles trataram sobre a aquisição e o comércio de drogas ‘em sociedade’, bem como de ‘vultuosos valores financeiros’ provenientes do tráfico.

Em um dos diálogos, Calistro trama com ‘Peruca’ o assalto a uma carga de droga transportada por dois bolivianos avaliada em R$ 1,8 milhão. “(Calistro) Menciona que é nesses mesmo que vão ‘dar o bote’, enfatizando que qualquer coisa podem ‘empurrar’ os responsáveis pela droga, fazendo alusão  matar os bolivianos”, destaca a Promotoria na denúncia.

Jânio Calistro (PSD). Foto: DivulgaCand/TSE/Reprodução

Em outra situação, a Polícia Civil flagrou ‘Peruca’ contando ao vereador sobre a chegada de uma carga de droga avaliada em R$ 600 mil. Esta informação foi confirmada com a quebra do sigilo telefônico de Calistro, no qual foram encontradas imagens do entorpecente enviadas por ‘Peruca’ pelo WhatsApp.

Mandado de busca e apreensão contra o vereador encontrou sete munições e um carregador de pistola calibre .40. Por isso, a Promotoria solicitou a abertura de nova investigação para apurar se Calistro possui certificado de registro de arma de fogo.

Associação ao tráfico

A Promotoria solicitou a divisão dos fatos criminosos em denúncias separadas para agilizar o process. Assim, embora tenha encontrado indícios da prática de organização criminosa e lavagem de dinheiro, os fatos continuarão sendo investigados. Isto quer dizer que o Ministério Público ainda pode oferecer novas denúncias.

A 2ª Promotoria de Justiça Criminal da Comarca de Várzea Grande requereu ao Poder Judiciário que seja determinado o desmembramento dos fatos apurados e o compartilhamento da prova produzida com o Grupo de Atuação Especial Contra o crime Organizado (Gaeco) para aprofundamento das investigações.

Os denunciados, além do vereador Calistro Lemes do Nascimento:

  1. Lauriano Silva Gomes da Cruz;
  2. Antonino Getúlio da Cunha;
  3. Enivaldo Barbosa da Silva;
  4. João Vanderson Silva da Cunha;
  5. Eduardo Getúlio da Cunha;
  6. Bento Getúlio da Cunha;
  7. Jhonny Brendo Maciel de Souza;
  8. Reginaldo da Silva Rios;
  9. Evandro Maurílio Silva Costa;
  10. Yago Nunes Maia;
  11. Luiz Felipe da Silva;
  12. Marcos Henrique da Silva Nogueira;
  13. Reinaldo Francisco de Almeida;
  14. Luiz Henrique Wolker dos Santos;
  15. Thiago Oliveira Soares;
  16. Mauro Martins de Campos;
  17. Cedemilson Marques da Cruz;
  18. Uilian Gesse da Silva;
  19. Domingos Inocêncio da Silva;
  20. Joscimar dos Santos Oliveira;
  21. Cleiton da Silva;
  22. Kellen Auxiliadora Martins;
  23. Everton Garcia de Oliveira;
  24. Jonathan Magalhães da Silva;
  25. Cleiton de Souza Mangela;
  26. José Carlos da Silva;
  27. André da Silva Geraldo;
  28. Cleidiane Souza Santos;
  29. Dainey Aparecido da Costa;
  30. Rômulo de Souza Mangela;
  31. Lauro da Silva Gomes;
  32. Gabriele Ferrer da Silva;
  33. Ednelson Duarte da Silva;
  34. Jefferson Pereira da Silva.

COM A PALAVRA, A DEFESA

“A defesa do vereador se reserva no direito de se manifestar apenas no processo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: