Promotoria denuncia grupo criminoso que aplicava golpes em farmacêuticas de São Paulo

Promotoria denuncia grupo criminoso que aplicava golpes em farmacêuticas de São Paulo

A apuração foi desdobramento de outro inquérito, que mirava o mesmo grupo criminoso por crimes contra a saúde pública e à ordem tributária

Redação

18 de abril de 2021 | 14h13

O Ministério Público de São Paulo apresentou denúncia contra grupo criminoso acusado de estelionato em São Paulo. A investigação conduzida pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) identificou que os criminosos constituíram uma falsa Organização Não Governamental para ludibriar indústrias farmacêuticas a doarem medicamentos para então revendê-los no mercado.

A apuração foi desdobramento de outro inquérito, que mirava o mesmo grupo criminoso por crimes contra a saúde pública e à ordem tributária. No início do mês, a Justiça decretou a indisponibilidade dos bens dos acusados.

Foto: Ministério Público de São Paulo

Segundo os promotores, os criminosos utilizavam de uma falsa ONG para se aproximar das farmacêuticas, afirmando que buscavam doações de medicamentos para serem repassados a órgãos públicos. As empresas então concediam descontos de até 90% ou doavam gratuitamente os insumos, com uma inscrição de ‘venda proibida ao comércio’. Os criminosos, porém, apagavam a mensagem e revendiam os remédios no comércio a preço de mercado.

A investigação apontou que o grupo auferiu lucro superior a R$ 16 milhões com os golpes cometidos entre 2020 e 2021.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.