Promotores de São Paulo indicam Hossepian para o CNJ

Com 248 votos a mais que seu rival, procurador vence eleição; para Conselho do MP foi indicado o promotor Fernando Henrique Araújo

Redação

01 de março de 2015 | 15h50

Por Fausto Macedo

O procurador de Justiça Arnaldo Hossepian Salles Lima Junior foi o candidato mais votado na eleição deste sábado, 28, na indicação de membro do Ministério Público do Estado de São Paulo para o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Para a indicação ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) o mais votado foi o promotor de Justiça Fernando Henrique de Moraes Araújo. A apuração dos votos aconteceu neste domingo, 1, na sede do Ministério Público paulista.

Hossepian recebeu 939 votos, ante 691 votos do promotor de Justiça Roberto Livianu, outro corrente à indicação para o CNJ. As informações foram divulgadas no site do Ministério Público do Estado. O resultado da votação realizada sábado foi anunciado às 14 horas deste domingo pelo procurador-geral de Justiça, Márcio Fernando Elias Rosa.

Arnaldo Hossepian Salles Lima Júnior. Foto: Divulgação.

Arnaldo Hossepian Salles Lima Júnior. Foto: Divulgação.

Nesta segunda feira, 2, Elias Rosa encaminhará as indicações para o CNJ e para o CNMP. O procurador-geral vai levar os nomes de Hossepian e Fernando Henrique para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e para o Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais (CNPG), respectivamente.

Agora, Hossepian e Fernando Henrique vão passar pela fase nacional do processo eleitoral em busca das cadeiras no Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público.

Os dois colegiados foram criados pela Emenda 45, de 2004, e têm a missão de fiscalizar o Judiciário e o Ministério Público.

Arnaldo Hossepian atua na Procuradoria de Justiça de Habeas Corpus e Mandados de Segurança. Ingressou no Ministério Público de São Paulo em 1987 e atuou nas comarcas de Avaré, Vicente de Carvalho, Osasco e capital (Foro Regional de Pinheiros).

É membro eleito do Órgão Especial do Colégio de Procuradores. Foi assessor da Procuradoria-Geral e nos últimos três anos, subprocurador-geral de Justiça de Relações Externas, na gestão de Márcio Elias Rosa. Foi também secretário-adjunto da Segurança Pública. Formado pela Faculdade de Direito da USP, é Mestre em Direito Penal pela PUC-SP e Especialista em Direito Penal pela USP, além de Professor da FAAP.

Fernando Henrique é promotor de Justiça criminal na capital. Ingressou no Ministério Público do Estado de São Paulo no ano 2.000. Atuou nas Comarcas de Miracatu, Ubatuba, Leme e Mogi das Cruzes, e junto ao Departamento de Execuções da Infância e Juventude (DEIJ) da capital. Foi assessor da área de Infância e Juventude do CAO-Cível (2012-2012) e membro eleito do Conselho de Estudos e Políticas Institucionais (CONEPI), de 2013 a fevereiro de 2015. Graduado pela Universidade Mackenzie, é mestre em Direitos Difusos pela PUC/SP, e professor de Direito Penal da UNIFEO (Osasco) e de Direito Penal na Pós-graduação da Universidade Mackenzie.

Tudo o que sabemos sobre:

CNJCNMPMinistério Público

Tendências: