Promotora cobra apoio ‘financeiro e técnico’ do governo de SP ao projeto de ventiladores mecânicos da USP

Promotora cobra apoio ‘financeiro e técnico’ do governo de SP ao projeto de ventiladores mecânicos da USP

Dora Martin Strilicherk, do Ministério Público paulista, enviou ofício ao governador João Dória pedindo explicação para programa 'não ter recebido atenção no mínimo concomitante à aquisição de respiradores no exterior'

Rayssa Motta

11 de maio de 2020 | 11h26

Atualizada às 13h24 de 11.05 com posicionamento do governo do Estado*

Equipamento desenvolvido por pesquisadores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo USP pode ajudar a suprir a falta de respiradores no Brasil. Foto: Marcelo Zuffo

A promotora de Justiça Dora Martin Strilicherk enviou um ofício ao governador de São Paulo, João Dória, cobrando esclarecimentos para a suposta negligência do Estado em relação ao projeto de Pesquisadores da Escola Politécnica (Poli) da USP que permite construir ventiladores pulmonares mais baratos em tempo recorde. O prazo para o governo se manifestar é de quatro dias.

No documento, encaminhado no sábado, 9, o Ministério Público paulista pede ‘apoio estatal financeiro e técnico’ para acelerar o projeto.

O protótipo de ventilador de emergência da Poli já foi testado em animais e também em pacientes do Hospital das Clínicas, com sucesso, faltando ainda aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A promotora destaca a dificuldade de importação de ventiladores e o baixo custo dos equipamentos criados pela Poli para justificar o pedido: ‘o Governo do Estado negocia a importação de um único respirador por cerca de R$ 220.000 (duzentos e vinte mil reais), ao passo que um ventilador do Projeto da Poli tem custo aproximado de dois mil reais’.

Dora faz questão também de destacar que o aumento do número de casos confirmados vem pressionando o sistema de saúde paulista e que a falta de respiradores agrava o quadro, já que obrigada a criação de novos leitos de UTI.

O projeto da Poli conta com apoio da Faculdade de Direito da própria USP, que montou uma força-tarefa de professores especialistas em diversas áreas do Direito para assegurar que as empresas interessadas em fabricar e distribuir o equipamento respeitem as especificações e processos exigidos por lei, observando as normas regulatórias do setor.

COM A PALAVRA, O GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

“Há mais de 60 dias, o Governo de São Paulo acompanha o desenvolvimento dos respiradores da USP. Nesta segunda, na agenda oficial do vice-governador Rodrigo Garcia já estava prevista reunião técnica sobre o projeto, mais uma para afinar. O vice segue a diretriz do governador João Doria de buscar a aquisição de respiradores. Todas as informações dos respiradores da USP serão repassados à Promotora de justiça e a toda a sociedade”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.