Procuradoria vai à Justiça contra três alunos da Federal do Cariri por fraude contra sistema de cotas

Procuradoria vai à Justiça contra três alunos da Federal do Cariri por fraude contra sistema de cotas

Segundo o Ministério Público Federal, estudantes apresentaram documentos fraudados para ingressar na instituição em vagas destinadas a alunos de escolas públicas; pais dos universitários foram denunciados criminalmente por falsidade ideológica

Paulo Roberto Netto

10 de março de 2020 | 16h16

O Ministério Público Federal apresentou ação civil pública contra três estudantes de Medicina da Universidade Federal do Cariri, com sede em Juazeiro do Norte (CE), por fraude contra o sistema de cotas da instituição. De acordo com a Procuradoria, os estudantes apresentaram documentos fraudados para ingressar na instituição em vagas destinadas a alunos provenientes de escolas públicas.

O MPF pede que a matrícula do trio seja cancelada seguida da expulsão dos universitários, inclusive com impossibilidade de aproveitamento das disciplinas já cursadas em outras instituições de ensino.

A Procuradoria também denunciou as mães de dois estudantes, denunciadas por falsidade ideológica por assinarem os documentos fraudados utilizados pelos alunos, menores de idade na época do crime.

Vista aérea do campus da Universidade Federal do Cariri, em Juazeiro do Norte (CE). Foto: Gabriel Souza e Carlos Shallom

A investigação apontou que os três alunos estudaram quase integralmente em escolas particulares durante o ensino médio, mas pediram transferência, no fim do terceiro e último ano letivo, para uma escola pública no município de Missão Velha, a 510 quilômetros de Fortaleza. A transferência seria uma forma de obter um certificado de conclusão de ensino médio em rede pública, o que permitira os estudantes a ingressar na federal do Cariri por meio das cotas destinadas a alunos de escolas públicas.

O Ministério Público Federal cobra a condenação dos estudantes e pais ao pagamento de R$ 300 mil em indenizações aos recursos públicos investidos em sua formação superior durante o período em que estiveram matriculados no curso de medicina da Federal do Cariri. O valor deverá ser corrigido com acréscimo de juros e atualização monetária.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.