Procuradoria quer multa de até R$ 300 mil para Rosinha Garotinho por pesquisa ilegal no Facebook

Procuradoria quer multa de até R$ 300 mil para Rosinha Garotinho por pesquisa ilegal no Facebook

Em ação no Tribunal Regional Eleitoral do Rio, procuradora Adriana de Farias acusa ex-governadora de 'propaganda irregular' por publicação em sua página de pesquisa de opinião sem registro na Justiça sobre candidatos ao Governo fluminense

Redação

05 Outubro 2018 | 17h22

Anthony Garotinho e Rosinha. Foto: Wilton Júnior/Estadão

A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio entrou com ação no Tribunal Regional Eleitoral pedindo multa entre 50 mil e 100 mil UFIRs (R$ 165 mil a R$ 300 mil) para a ex-governadora Rosinha Garotinho, por ter publicado no Facebook uma pesquisa de opinião sem registro na Justiça Eleitoral sobre candidatos a governador do Estado. Na ação, a divulgação de pesquisa sem registro sobre a preferência de eleitores é apontada como ‘uma violação da legislação eleitoral, que exige o registro das pesquisas de opinião pública até cinco dias antes da divulgação’.

As informações foram divulgadas pela Assessoria de Comunicação da Procuradoria. O TRE julgará ainda o pedido da Procuradoria para serem removidas imediatamente a enquete de Rosinha e sua réplica na página do Facebook de Thiago Virgilio, ex-vereador de Campos dos Goytacazes que renunciou à candidatura a deputado estadual.

No registro que a Justiça Eleitoral exige das pesquisas eleitorais, deve constar informações como quem contratou a pesquisa e a metodologia e período de sua realização.

Se o pedido da procuradora regional eleitoral auxiliar Adriana de Farias for acolhido, a veiculação da enquete sujeita Rosinha Garotinho a multa de R$ 1 mil por dia em que o conteúdo continuar publicado na internet.

COM A PALAVRA, ROSINHA

A reportagem está tentando contato com Rosinha Garotinho. O espaço está aberto para manifestação.

Mais conteúdo sobre:

Rosinha Garotinho