Procuradoria pede urgente inquérito contra milícias no Rio

Procuradoria pede urgente inquérito contra milícias no Rio

Ministério Público Eleitoral alerta para ação de grupos armados que cobram taxas para 'permitir' que candidatos façam campanha nos municípios de Duque de Caxias, Magé, Nova Iguaçu e Seropédica

Mateus Coutinho

29 de setembro de 2016 | 19h20

pedidompfmilicia

A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio pediu à Polícia Federal que abra, com urgência, um inquérito para investigar as suspeitas de intervenção de milícias nas eleições em quatro cidades – Duque de Caxias, Magé, Nova Iguaçu e Seropédica.

No ofício, a Procuradoria da República pede que os episódios sejam investigados “independente de quaisquer investigações” da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio.

A abertura urgente do inquérito foi requerida pelo procurador regional eleitoral Sidney Madruga a partir de recentes notícias na imprensa de que grupos de milicianos têm cobrado taxas para permitir que candidatos façam campanha e divulguem materiais em áreas da zona oeste carioca e cidades do Grande Rio.

O jornal “O Globo” revelou de que candidatos teriam que pagar de R$ 15 mil a R$ 120 mil, de acordo com a densidade eleitoral local, para ter o direito de fazer campanha com exclusividade em territórios dominados por esses grupos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.