Procuradoria pede à PF inquérito por uso de ‘Lula candidato’ no Piauí

Procuradoria pede à PF inquérito por uso de ‘Lula candidato’ no Piauí

Ministério Público Eleitoral solicitou a investigação de suposto crime eleitoral na propaganda da candidata ao Senado Albetiza Moreira de Araújo (PCO), no horário eleitoral gratuito na TV

Julia Affonso

03 Outubro 2018 | 18h56

Lula em São Bernardo do Campo, em 7 de abril de 2018, dia de sua prisão. FOTO: ANDRÉ PENNER/AP

O Ministério Público Eleitoral, por meio do procurador regional Eleitoral Patrício Noé da Fonseca, requisitou à superintendente regional da Polícia Federal no Piauí, Fabiana de Araújo Macedo, a instauração de inquérito por suposto uso ilegal de ‘Lula candidato’. A Procuradoria solicitou a investigação de possível crime eleitoral na propaganda da candidata ao Senado Albetiza Moreira de Araújo (PCO), no horário eleitoral gratuito na TV.

Preso em Curitiba desde 7 de abril para cumprir pena de 12 anos e um mês de reclusão na Operação Lava Jato, Lula foi declarado inelegível pelo plenário do Tribunal Superior Eleitoral e substituído nas eleições 2018 pelo ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad.

Segundo a denúncia encaminhada nesta quarta, 3, à Procuradoria Regional Eleitoral, registrada sob o número PR-PI-00025011/2018, a propaganda divulgada no horário eleitoral gratuito na TV pela candidata ‘não só propala fato sabidamente inverídico capaz de exercer influência perante o eleitorado, que é a candidatura à Presidência da República de Luiz Inácio Lula da Silva, como ainda pede votos para ele, indicando o número 13, da legenda cuja chapa é atualmente encabeçada pelo candidato Fernando Haddad’.

No ofício à Polícia Federal, o procurador regional Eleitoral requisita a apuração ‘da autoria e materialidade da infração penal, com base no artigo 323 do Código Eleitoral’.

O procurador reitera que o artigo 323 determina que divulgar na propaganda fatos inverídicos em relação a partidos ou candidatos e capazes de exercerem influência perante o eleitorado ‘configura crime eleitoral’ – com penas que variam de detenção de 2 meses a 1 ano, ou pagamento de 120 a 150 dias-multa.

COM A PALAVRA, ALBETIZA

A reportagem está tentando contato com a candidata ao Senado pelo Piauí. O espaço está aberto para manifestação.

Mais conteúdo sobre:

Lulaeleições 2018