Procuradoria investiga assédio de brasileiros contra mulher na Rússia

Procuradoria investiga assédio de brasileiros contra mulher na Rússia

Ministério Público Federal no DF avalia enquadrar torcedores que levaram mulher a repetir palavras em português de baixo calão

Luiz Vassallo e Julia Affonso

21 Junho 2018 | 14h47

Foto: Reprodução/ Facebook

O Ministério Público Federal no Distrito Federal abriu inquérito criminal para investigar os brasileiros que constrangeram uma mulher na Rússia ao fazê-la repetir, em vídeo, palavras em português de baixo calão referentes ao órgão genital feminino, sem que ela soubesse o significado. A Procuradoria avalia enquadrar o caso como crime de injúria.

+ Acompanhe o Estadão na Copa

+ Copa do Mundo AO VIVO: 24 horas de informações sobre o Mundial da Rússia

De acordo com o MPF, as ‘investigações, requisitadas em regime de urgência e prioridade, permitirão a identificação detalhada dos brasileiros envolvidos’.

+ Assédio de brasileiros na Rússia alcança 134,3 mil tuítes e 74 posts por minuto, mostra FGV-DAPP

+ Por assédio, autoridades russas avaliam abrir inquérito contra brasileiros

A Procuradoria afirma entender ‘que a conduta dos brasileiros denegriu a dignidade e expôs a estrangeira a humilhação pública, diante do cunho nitidamente machista e discriminatório percebido nas imagens’.

+ Brasileiros envolvidos em assédio prestam ‘imenso desserviço’ ao País, diz ministro

+ Tenente da Polícia Militar é identificado em caso de assédio na Rússia

A instauração da investigação foi determinada com base nos artigos 1, 3 e outros da Convenção Internacional sobre Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra a Mulher.

+ ‘Não é zoeira, é machismo’: Artistas se revoltam com vídeo de brasileiros na Rússia

O normativo estabelece a definição do que significa discriminação contra a mulher e deixa acordado que os signatários devem garantir o exercício e gozo dos direitos humanos e liberdades fundamentais em igualdade de condições com o homem.