Procuradoria diz que cunhado de Roseana Sarney queimou documentos no quintal de casa

Procuradoria diz que cunhado de Roseana Sarney queimou documentos no quintal de casa

Para Ministério Público Federal, Ricardo Murad, ex-secretário de Saúde sob suspeita de desvio de recursos públicos, 'praticou atos de destruição e ocultação de provas'

Fausto Macedo, Ricardo Galhardo e Andreza Matais

18 Novembro 2015 | 17h45

O ex-secretário estadual de Saúde Ricardo Murad prestou depoimento na Superintendência Regional da Polícia Federal em São Luís. Foto: Honório Moreira/O Imparcial

O ex-secretário estadual de Saúde Ricardo Murad prestou depoimento na Superintendência Regional da Polícia Federal em São Luís. Foto: Honório Moreira/O Imparcial

O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) se manifestou favoravelmente ao pedido de prisão preventiva do ex-secretário de Saúde do Estado do Maranhão Ricardo Murad, cunhado da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB). Para a Procuradoria da República, Murad ‘praticou atos de destruição e ocultação de provas e não é absurdo concluir que assim continuará se comportando se permanecer em liberdade’. O Ministério Público Federal concordou com pedido da Polícia Federal e também quer a decretação da prisão preventiva do ex-secretário.

Murad é alvo da Operação Sermão aos Peixes. Ele foi alvo de buscas nesta terça-feira, 17, em São Luís. Ele também foi conduzido coercitivamente à sede da PF para depor no inquérito que apura desvios de recursos do Fundo Nacional de Saúde.

Obra de arte apreendida na casa de Ricardo Murad. Foto: Polícia Federal

Obra de arte apreendida na casa de Ricardo Murad. Foto: Polícia Federal

O Ministério Público Federal destaca que na véspera do cumprimento do mandado de busca e apreensão, Ricardo Murad teria ‘incinerado documentos no fundo do quintal de sua residência, levado documentos de sua casa para a casa de sua irmã, e ainda teria removido, do aparelho de circuito de TV de sua casa o dispositivo onde são armazenadas as imagens registradas (HD), para impedir que a polícia captasse as cenas da retirada dos documentos e da incineração de papéis’.

Murad é alvo da Operação Sermão aos Peixes, deflagrada nesta terça-feira, 17. A PF calcula que cerca de R$ 1,2 bilhão podem ter sido desviados entre 2010 e 2013. A PF atribui a Murad o papel de ‘mentor e comandante de organização criminosa’.

[veja_tambem]

Os federais fizeram buscas na residência de Murad, onde recolheram 20 quadros e obras de arte. Também foi apreendido o veículo de luxo dele, uma Toyota SW 4.

Segundo o Ministério Público Federal, contra Ricardo Murad foi expedido mandado de busca e apreensão, ‘com o objetivo de colher provas de sua participação em uma organização criminosa instituída para desviar e posteriormente lavar recursos do Fundo Estadual de Saúde, composto também por recursos do Fundo Nacional de Saúde, mediante a celebração de Contratos de Gestão e Termos de Parceria com a Organização Social Instituto Cidadania e Natureza (ICN), e com a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público Bem Viver – Associação Tocantina para o Desenvolvimento da Saúde, cujo objetivo era administrar a prestação de serviços do Sistema Único de Saúde no âmbito do Estado do Maranhão.’

A defesa de Murad informou que só vai se manifestar quando tiver acesso à integra do inquérito da Operação Sermão aos Peixes.