Procuradoria denuncia dois por depredação no Itamaraty durante protestos de junho

Mateus Coutinho

20 de março de 2014 | 21h47

Cláudio Roberto Borges de Souza e Samuel Ferreira Souza  são acusados de incendiar sede do Ministério das Relações Exteriores em manifestação que teria causado prejuízo de R$ 31 mil 

por Mateus Coutinho

Dois jovens que estavam nos protestos de junho de 2013 em Brasília foram denunciados pela Procuradoria da República do Distrito Federal nessa quarta-feira. De acordo com o MPF, os jovens Cláudio Roberto Borges de Souza e Samuel Ferreira Souza são acusados de utilizar coquetéis molotov para incendiar a sede do Ministério das Relações Exteriores durante a manifestação de 20 de junho, colocando em risco as pessoas que estavam no local.

Segundo a denúncia, 13 ambientes do Itamaraty foram atingidos pelos atos de vandalismo. O procurador da República Valtan Furtado afirma ainda que o fogo só não assumiu maiores proporções porque integrantes da segurança e da brigada de incêndio agiram rapidamente. Ainda assim, laudo da Polícia Federal constatou vários danos à União, como vidros quebrados, pichações e esquadrias de janelas destruídas ou amassadas.

Cálculos preliminares do Ministério de Relações Exteriores, segundo o MPF, apontavam que o reparo dos danos causados pelos denunciados e os outros manifestantes ao Palácio Itamaraty custaria cerca de R$ 31 mil. A denúncia será apreciada pela 12ª Vara Federal do DF.

A pena para o crime varia de três a seis anos de prisão, podendo ser aumentada em um terço por se tratar de prédio público.

 

Tendências: